Pedale com segurança

 dicas-ciclistas-pedal

Seja visto: motoristas costumam não enxergar as ruas tão bem quanto você, andam em velocidades mais altas do que a sua e tem veículos mais perigosos que o seu. Use luzes e refletivos (principalmente à noite) e tente se comunicar visualmente com os condutores.

Conheça seu caminho: Prefira ruas tranquilas e redobre a atenção caso necessite passar por uma avenida ou por um caminho que não conhece. Experimente e descubra o seu caminho antes de torna-lo parte da sua rotina. Confira as rotas de bicicleta em São Paulo no mapa de ciclorrotas, no bikemap e no bikely.

Ocupe a faixa: Não pedale na sarjeta ou muito próximo à guia. Ocupe ⅓ ou ½ faixa. Isso facilita a visão do motorista e ainda permite que você tenha uma margem de manobra em caso de buracos ou grades de escoamento de água. Dê passagem aos demais veículos quando for possível, sinalizando com as mãos a sua intenção ou pedindo que o motorista aguarde.

Não ande na contramão: você atrapalha outros ciclistas e pode surpreender motoristas e pedestres, colocando a sua vida ou a de outra pessoa em risco. Quando uma contramão é a única alternativa para evitar uma avenida ou trecho perigoso, dê preferência a quem está na mão certa ou (de preferência) siga desmontado pela calçada.

Cuidado com portas abrindo: Não pedale muito perto de carros estacionados. Motoristas costumam não olhar para trás ao abrir a porta do veículo.

Evite andar na calçada: muitas vezes as ruas parecem e são realmente perigosas. Caso não se sinta à vontade para andar junto com os outros veículos e precise ir pela calçada, respeite e dê total preferência ao pedestre ou siga desmontado da bicicleta.

Dê preferência absoluta aos pedestres: respeite a faixa e espere o pedestre concluir a travessia antes de avançar. Mesmo em faixas não-semaforizadas, a preferência é sempre do pedestre.

Estabeleça comunicação: Enquanto estiver pedalando, procure sempre manter contato visual com os motoristas e utilize as mãos para sinalizar as suas conversões ou mudanças de faixa.

Seja o trânsito: bicicleta na rua é um veículo e você deve encara-la como tal. Não precisa competir com os carros, basta antecipar-se às reações dos demais condutores e ser prudente. O fluxo é algo bastante previsível para um ciclista atento, especialmente em caminhos conhecidos.

Não ultrapasse veículos desnecessariamente: Em muitas situações você ultrapassa um veículo e, em seguida, ele te ultrapassa. Evite esta competição desnecessária. O ciclista também pode aguardar alguns instantes atrás de outro veículo, em especial ônibus durante embarque ou desembarque de passageiros.

Descubra a melhor bicicleta para você e cuide bem dela: realizar a manutenção da bicicleta e contar com um veículo de qualidade e regulado também ajuda a evitar acidentes, além de melhorar a sua experiência nas ruas.

Vá com calma: andar de bicicleta no trânsito de uma cidade como São Paulo exige mais do que ter força e resistência para girar os pedais. Conheça o caminho, os limites do seu corpo e a dinâmica do trânsito antes de achar que vai conseguir ir para o trabalho todos os dias de bicicleta.

Pratique a educação e o respeito: em São Paulo, o caminho do ciclista urbano passa pela experiência de compartilhar a rua com veículos automotores. Motoristas muitas vezes não entendem ou não percebem que colocaram a sua vida em risco. Evite descarregar a sua raiva, pois ela pode gerar mais agressividade nos motoristas. Dividir o espaço com educação e respeito é a única forma possível de convivência no trânsito.

Faça valer o seu direito: Em caso de agressão, desrespeito ou conflito com outros veículos nas ruas, registre reclamações, boletins de ocorrência ou denúncias. Procure se informar e seguir os procedimentos oficiais em cada situação. Registre o episódio na pesquisa "Sustos, buzinadas e acidentes".

+ Faça o download do panfleto produzido para o Dia Mundial Sem Carro 2010 com essas dicas