Relatório de Contagem de Ciclistas - Inajar de Souza 2013

Contagem Inajar2013 Capa

Av. Inajar de Souza, altura do nº 2.752
Terça-feira, 10 de setembro de 2013
Das 05h às 20h

Clique para baixar o Relatório de Contagem em PDF.

 

INTRODUÇÃO

A Ciclocidade realizou pelo quarto ano consecutivo duas contagens de ciclistas em dois importantes pontos da cidade, avenida Inajar de Souza e cruzamento das avenidas Faria Lima e Rebouças.

A contagem de ciclistas realizada na altura do número 2.725 da avenida Inajar de Souza aconteceu em 10 de setembro de 2013, ao longo de 15 horas, totalizando 1.413 ciclistas (ou 93/hora).

A avenida Inajar de Souza possui uma ciclovia em canteiro central, construída em 2007, mas que ainda está incompleta em dois aspectos: em relação ao seu trajeto original, que previa a ligação entre a Ponte da Freguesia do Ó e a avenida  General Penha Brasil, e de acordo com as normas vigentes de sinalização e segurança para que seja considerada de fato uma ciclovia, tal como a pintura vermelha da via. Além disso, nenhum trecho possui sinalização em cruzamentos e a velocidade permitida na via é de 60Km/hora, resultando em dificuldades nas travessias de acesso ao lote e maior risco nas intersecções. Apesar do seu uso intenso, não há nenhuma infraestrutura cicloviária que alimente a ciclovia da Inajar de Souza. O resultado da contagem apresenta 85% dos deslocamentos com indicação de origem-destino dos trajetos em linha reta realizados pelos ciclistas no eixo Cachoeirinha-Ponte da Freguesia do Ó, demonstrando mais uma vez o impacto positivo da presença de infraestrutura para ciclistas, ainda que precária.

Os números obtidos este ano são aproximadamente o dobro se comparados às contagens realizadas em anos anteriores em locais onde não existe infraestrutura para bicicletas (avenida Paulista e avenida Eliseu de Almeida).

Os 1.413 ciclistas que passaram por este cruzamento ocupariam 1,5Km de via por hora, se estivessem utilizando um carro a 60Km/h. Estes resultados só reforçam a importância e a necessidade de ampliar a rede cicloviária na cidade (inclusive a própria ciclovia da Inajar de souza, que está incompleta) e dar o protagonismo necessário a este modal.