Haddad se compromete a reduzir velocidade máxima nas vias de SP

 

Haddad se compromete a reduzir velocidade máxima nas vias de SP

 

Por Cleide Carvalho

 

SÃO PAULO – O candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, se comprometeu neste domingo com os movimentos Ciclocidade e o CicloBR a reduzir o limite de velocidade nas avenidas da cidade a 50 km por hora e a 30 km por hora nos bairros, medida destinada a acalmar o trânsito na cidade e facilitar a convivência com motoristas de veículos motorizados. De acordo com os ciclo ativistas, a bicicleta pode alcançar velocidade média entre 25 a 30 km por hora. Logo após assinar o documento, Haddad explicou que a medida não será válida para toda a cidade.

– Não vai se estender para toda a cidade, obviamente. Será para as vias onde houver necessidade, obviamente – explicou Haddad, acrescentando que vias secundárias, que hoje não atraem ciclistas, poderão ser utilizadas para a implantação de ciclofaixas e ciclovias.

O vereador Chico Macena (PT), coordenador da área de transporte no plano de governo de Haddad, defendeu a redução da velocidade até mesmo nas vias expressas, com o objetivo de reduzir o número de acidentes fatais.

O candidato petista assinou o documento após um passeio ciclistico na manhã deste domingo, ao lado dos ativistas, entre a Avenida Paulista e o diretório do partido, no centro da cidade. O trecho não tem ciclovia ou ciclofaixa e a van que levava equipe de filmagem da campanha cometeu uma infração de trânsito no cruzamento do Viaduto Jacareí com a rua Santo Amaro, mudando para a pista da esquerda, numa conversão proibida. O passeio foi também tumultuado pela presença da imprensa, que disputou espaço com os ciclistas que acompanhavam a comitiva para obter melhores ângulos para fotografar o candidato. O senador Eduardo Suplicy também participou da pedalada e, em alguns momentos, ajudou a orientar os participantes.

Haddad disse que a principal medida para incorporar as bicicletas no modal de transportes da capital paulista será a integração com ônibus, trens e metrô, criando bicicletários gratuitos e oferecendo bicicletas gratuitamente para moradores da periferia da cidade. Segundo ele, integrada ao bilhete único personalizado, com número nome e número de CPF, a bicicleta terá custo zero ao usuário. Quem quiser alugar pelo período de três horas também poderá fazê-lo, por período de três horas, a custo reduzido, a custo de até R$ 0,25.

– A presença do ciclista ajuda a enxergar a cidade de outra forma. Ele olha a cidade de um jeito diferente e nos ajuda a pensar diferente – afirmou o candidato.

Para Haddad, porém, a principal medida de mobilidade na cidade é o investimento alto em transporte público, com a criação de mais 150 km de corredores de ônibus, que está prevista em seu plano de governo. Além disso, o candidato se comprometeu a reduzir imposto das empresas que se deslocarem para áreas na periferia de São Paulo, mais próxima a bairros residenciais, ajudando a diminuir a necessidade de deslocamento de pessoas. Hoje, cerca de 300 mil pessoas utilizam a bibicleta como meio de transporte e a maioria delas, segundo Macena, está na zona leste.

A reivindicação dos ciclistas, de criação de mais ciclofaixas, ciclorotas e ciclovias na cidade, entrou na agenda política desta campanha para prefeito de São Paulo. Neste sábado, o mesmo documento foi assinado por Gabriel Chalita, do PMDB.

O tucano José Serra prometeu, também durante um passeio ciclístico na zona leste, neste sábado, a aumentar para 400 km o total de ciclofaixas, ciclo rotas e ciclovias na cidade e os pontos de apoio a usuários, com bicicletários e serviços de aluguel de bicicletas.

 

 

 

PUBLICADO EM 15/07/2012

Leia esta notícia no site original