Ciclovias de São Paulo são auditadas pela população

 

Projeto Auditoria Cidadã busca dados quantitativos e qualitativos para auxiliar políticas em prol da bicicleta na capital paulista

 

No Mês da Mobilidade, a Ciclocidade vai às ruas conferir de perto como estão as ciclovias e ciclofaixas da cidade de São Paulo. O projeto Auditoria Cidadã pretende expor as condições da rede cicloviária da capital, que há quase dois anos não recebe nem um investimento em manutenção.No Mês da Mobilidade, a Ciclocidade vai às ruas conferir de perto como estão as ciclovias e ciclofaixas da cidade de São Paulo. O projeto Auditoria Cidadã pretende expor as condições da rede cicloviária da capital, que há quase dois anos não recebe nem um investimento em manutenção.

Os relatos de ciclistas que veem sumir as faixas exclusivas, agora estarão conectados pela hashtag #CicloAuditoriaSP. Pedimos a sua ajuda para ampliar esta rede publicando sua denúncia nas redes sociais também com a hashtag #CicloAuditoriaSP.
O projeto faz uso do Índice de Desenvolvimento Cicloviário- IDECiclo, criado pela organização pernambucana Ameciclo. O índice estipula uma série de critérios relacionados a segurança e proteção à vida de quem ocupa as vias para ciclistas, levando em conta fatores como a velocidade, a disposição da faixa, sinalizações, iluminação, entre outros. Leia o relatório, aqui.

São quase 50 ciclistas que estão nas ruas analisando tecnicamente as estruturas. Os dados levantados ao longo do mês de setembro, resultarão em um dossiê com as condições reais da nossa malha cicloviária, que será protocolado junto à Secretaria de Mobilidade e Transportes, à CET e à comissão de elaboração do Plano de Segurança Viária como contribuição da sociedade civil à segurança de ciclistas nas ruas.

Diretora Geral da Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo, Jô Pereira explica importância de um projeto como este no atual momento político: “ É uma forma de documentar o descaso com as estruturas. Uma ação imprescindível para enfrentarmos e denunciarmos a ausência de ações da prefeitura em prol da cidadania e da mobilidade segura”, comenta Jô Pereira.

Para cobrir toda São Paulo, o mapa da cidade foi dividido em seis territórios: Zona Norte; Zona Sul - 1 e 2; Zona Oeste e Zona Leste - 1 e 2. 

“Nós buscamos as bacias de tráfego da capital que tivessem características próprias, e por conta do tamanho das Zonas Leste e Sul, elas foram subdivididas em duas partes. Em sua maioria, são ciclistas regionais que fazem a aplicação do índice em locais que já realizam seus deslocamentos. A ideia destes agentes locais serem ciclistas é ter o olhar do usuário, que sente na pele as interferências no espaço físico e territorial, podendo perceber elementos agregadores nesta análise”, explica Suzana Nogueira, Coordenadora do projeto.

O projeto Auditoria Cidadã já está nas ruas de São Paulo e tem o apoio do Itaú. Acompanhe pelas redes sociais da Ciclocidade as denúncias dos ciclistas paulistanos e faça parte desta importante pressão pelo respeita à vida e ao espaço dos ciclistas.