Conheça as 5 novas iniciativas do Fundo de Ações Locais

Fundo de Ações Locais chega a sua 2o edição e contempla projetos de toda São Paulo. Até agora foram 27 mil reais redistribuídos em ações diretas nas periferias

 

Pedalar, resgatar e ocupar. Fundo de Ações Locais promove Mês da Mobilidade com ações que fomentam a bicicleta e a sustentabilidade. Da Zona Sul a Zona Leste, os projetos propõem uma reapropriações dos territórios da capital paulista.

O Fundo de Ações Locais foi criado a partir do superávit da captação de recursos do Bicicultura São Paulo, em 2016, e é uma iniciativa da Ciclocidade, em parceria com o Instituto Aromeiazero.

Para Michel Will, Coordenador do projeto, o fundo é uma forma de “promover, descentralizar e dar suporte a cultura da bicicleta na cidade por meio de iniciativas, que promovem a bicicleta e somam forças na resistência por uma cidade mais acessível e ciclável para todos”.

Neste segundo edital, mais cinco projetos foram contemplados com três mil reais cada, e as ações vão de eventos pontuais, a criação de redes regionais de reciclagem e plantio de alimentos.

Em setembro, quatro das cinco iniciativas fazem parte da programação do mês da mobilidade. Dia 15/09 iniciam-se os encontros do projeto Resgatar o Pedalar do Canto da Arte; dia 21/09 tem Café da Manhã do Ciclista do Bike Zona Sul; início das atividades do projeto Sustentabilidade na Periferia do coletivo Ciclo Raiz; e fechando o mês, dia 30/09 tem passeio ciclístico com o projeto Pedalar e Semear do Coletivo Dente de Leão.

Leia mais sobre cado um dos projetos e confira a datas de execução:

Resgatar o Pedalar

Abrindo o calendário da 2a edição do FAL, o projeto Resgatar o Pedalar propõem oficinas de reutilização de peças antigas e conserto de bike de forma barata e divertida. Serão quatro encontro com os adolescentes da Comunidade Vila Nova Jaguaré, Zona Oeste de São Paulo. No dia 15 de setembro, a ideia é mapear os pontos de ferro velho que possam ter peças e ferramentas usadas para montar ou consertar novas bikes. Já no segundo encontro, a ideia é comprar essas peças, para no terceiro e quarta encontros as bicicletas serem montadas de forma coletiva. “Muitas vezes os adolescentes da região não tem dinheiro para comprar uma bike nova ou consertar suas bikes quebradas. O projeto vai ter 10 vales de 200 reais para a compra destes materiais pelos adolescentes da comunidade”, explica o Coletivo Cultural Canta da Arte.

Programação - a confirmar:

  • 15 e 22 de Setembro: Mapeamento e compra de peças
  • 06 e 13 de outubro: Conserto montagem das bikes
  • As atividades tem início às 9h
  • Ponto de encontro: Rua Três Arapongas, 424 ( ao lado da Escola João Cruz Costa)

Café da Manhã do Ciclista

Na segunda-feira (24), um dia antes do Dia Mundial Sem Carro, o Coletivo Bike Zona Sul vai organizar uma manhã diferente para os ciclistas passam pelo Largo do Socorro. Além dos comes e bebes, o café da manhã vai ter oficina de reparos básicos na bicicleta e entrega de kits de iluminação para os ciclistas.

O café irá começar logo às cinco da manhã, com o intuito de alcançar os trabalhadores da região que fazem uso da bicicleta como meio de transporte, mas o coletivo lembra a importância de uma atividade como esta para a comunidade: “Ações como essa também chamam a

atenção de toda a população que ainda não aderiu ao uso da bike em seu dia a dia”.

Programação:

  • Dia 24 de setembro
  • Às 5h até mais ou menos 12h, ou até durarem os alimentos.
  • Largo do Socorro - Zona Sul

Pedalar e Semear

O projeto do Coletivo Dente de Leão vai redescobrir as Ciclovias do Parque da Integração Zilda Arns e da Avenida Anhaia Melo, na região do Sapopemba, Zona Leste de São Paulo. Serão quatro encontros para explorar diferentes trechos das estruturas, unindo as discussões sobre mobilidade e ocupação dos espaços públicos.

A atração principal será a Bike Horta do coletivo, é nela que irão rolar as oficinas de ‘bombas de semestes’ durantes os piqueniques ao final de cada passeio. “Somos o segundo distrito mais populoso de São Paulo, com

microrregiões altamente povoadas. As comunidades são afetadas pela falta de políticas públicas e iniciativas privadas que olhem para questões ambientais e de valorização dos espaços de lazer, esporte e locomoção. Falta

áreas verdes, há muito descarte de resíduos e entulhos recicláveis, neste ponto, a bike tem um papel importante para esses grupos que a utilizam para lazer ou trabalho”, explicam os proponentes.

Programação - a confirmar:

  • 9 e 30 de setembro das 9h às 12h
  • 21 de outubro das 9h às 12h
  • 18 de novembro das 9h às 12h
  • Ponto de encontro: Rua Antônio Pereira Pegas - Vila Fátima

Sustentabilidade na Periferia

Também em setembro, no dia 22, o coletivo Ciclo Raiz dará início às atividades do projeto Sustentabilidade na Periferia na Associação de Agricultores da Zona leste. Ao todo serão quatro encontros com a comunidade para incentivar o plantio e consumo de alimentos mais saudáveis e acessíveis. A produção e uso de composteiras estão na programação.

No alforges das bicicletas, os participantes poderão entregar os alimentos colhidos na Horta Comunitária da associação e conversar com a comunidade sobre a iniciativa. “Além das oficinas com orientações de manuseio da terra, teremos uma aula para fazer alforges recicláveis, utilizando potes de margarina de 15Kg”, explicam Tatiane Souza do Ciclo Raiz.

Programação:

  • 22/09 - começam as atividades
  • 29/09 e 06/10 - rolam as oficinas de plantio e compostagem
  • 13/10 - o projeto finaliza com um almoço coletivo
  • As atividades começam sempre às 10h.
  • Rua Wilson Ackel, 642 - Vila Nancy

OcupaCiclo

Na Zona Leste de São Paulo, o Movimento Cultural Ermelino Matarazzo vai mudar a cara da Avenida Paranaguá. Na altura do número 1633, os proponentes iram construir uma área de lazer e convívio com uma grande estrutura de madeira. Além do espaço para as pessoas, haverão para-ciclos para o estacionamento de bicicletas.

O local é uma ocupação onde acontecem atividades com a comunidade, e após o término da nova intervenção uma festa de inauguração será realizada. “A espaço fica aberta das 14h às 19h de terça a sexta; das 10h às 19h aos sábados; e das 10h às 14h aos domingo. Além desse público, a estrutura também poderá ser utilizada sem custo pelos ciclistas que tenham outros destinos, próximos da ocupação”, explicam os proponentes.

Programação - a confirmar:

  • De 1 a 30 de setembro - elaboração e construção da estrutura de madeira
  • De 1 a 30 de outubro - será organizado o evento com a comunidade
  • Dia do evento - a definir

Parabéns a todos os projetos e coletivos contemplados!