Com ciclovia, Eliseu de Almeida tem mais mulheres pedalando

2014-06-16-Ciclovia Eliseu1

A ciclovia da avenida Eliseu de Almeida está começando a sair do papel. Prevista desde 2004, foi inaugurada parcialmente no último sábado (14/06). Os 2 primeiros km da obra, entre as ruas Camargo e Santa Albina, ainda deve se conectar ao município do Taboão da Serra e ao metrô Butantã.

Na terça-feira anterior à inauguração (10/06), mas já com a ciclovia quase pronta, a Ciclocidade realizou a terceira contagem de ciclistas na avenida e registrou um aumento considerável no número de mulheres pedalando. Ao contrário dos anos anteriores (2010 e 2012), a contagem foi realizada em um dia chuvoso. Ainda assim, o número de ciclistas cresceu: durante as 14 horas de contagem, foram 648 pessoas em bicicletas, contra 561 registrados em 2010.

O grande destaque no resultado deste ano foi o crescimento proporcional no número de mulheres: de 9 ciclistas em 2010 para 45 em 2014. O estudo realizado pela Ciclocidade comprova o que já havia sido notado em outras cidades: a construção de infraestrutura cicloviária possibilita não apenas o aumento do número de usuários, mas também a diversificação socioeconômica, de gênero e de idade entre os cidadãos atendidos. Ou seja, democratiza ainda mais o espaço urbano ao promover o deslocamento em bicicletas também por idosos, mulheres e crianças.

O relatório completo da contagem estará disponível em breve na biblioteca (com link neste artigo).

Mobilização permanente
No último sábado a Ciclocidade participou da pedalada de inauguração do trecho concluído, acompanhando técnicos da CET e da subprefeitura, além do secretário de Transportes Jilmar Tatto.

Na sequência, a associação consolidou algumas sugestões para o trecho inaugurado e enviou o documento à CET. A carta, que ressalta a importância da interligação com o metrô Butantã e com Taboão da Serra, também apresenta sugestões sobre o outro projeto implementado na região central da cidade (dentro da meta de 400km de ciclovias anunciada pela SMT durante reunião do Conselho de Transportes).

Desde 2009 a Ciclocidade vem atuando para que esta importante ligação cicloviária saia do papel. A entidade já realizou três contagens de ciclistas, consolidou o histórico de projetos em um dossiê, organizou uma programação espcial durante a Semana da Mobilidade de 2012, ajudou a promover uma audiência na Câmara dos Vereadores, além de realizar reuniões periódicas de articulação comunitária na região e com os órgãos públicos.

Nos próximos meses a associação continuará acompanhando as obras, além de buscar reuniões com a prefeitura de Taboão da Serra e com a concessionária ViaQuatro, responsável pelo bicicletário da estação Butantã, que precisa ser ampliado para atender à demanda crescente de usuários que buscam a integração entre bicicleta e metrô.