Texto do governo contra uso de bicicletas na rua gera reação em microblog

 

A capa do "Diário Oficial" do Estado de hoje gerou reações inflamadas de cicloativistas no Twitter.

Por VANESSA CORREA

 

Sob o título "Mais ciclistas, mais acidentes", a capa destacava a foto de um jovem e a frase "Especialista do HC [Hospital das Clínicas] recomenda não usar a bike no trânsito, mas sim em parques públicos e ciclovias". A reportagem também trazia um estatística divulgada recentemente: nove ciclistas são internados por dia no Estado.

 

No Twitter, rede social na internet, comentários satirizavam a escolha de um ortopedista para falar de acidentes com bicicletas. "A capa do Diário Oficial do @governosp de amanhã será: 'Não saiam de casa: caminhar é perigoso', diz podóloga". O comentário foi tuitado por @danielguth.

 

Outras reações inflamadas se seguiram, algumas pedindo explicações ao governo. Thiago Bennichio, diretor da ONG Ciclocidade, disparou: "Que vergonha! Sai da rua e vai pro parque" com a hashtag #carrocracia.

 

Pela lei, a bicicleta faz parte do sistema de trânsito e deve trafegar pela via, à direita. É proibida de circular por calçadas, estradas e vias expressas.

 

A sãopaulo conversou por telefone com Thiago Benicchio. Para ele, a reportagem oficial "inverte a lógica" e coloca a culpa nos ciclistas, em vez de questionar como tornar o uso da bicicleta mais seguro. "É como dizer: não saia a pé na cidade, já que o maior número de mortes no trânsito é de pedestres". Benicchio também lembrou que o número de mortes de ciclistas tem permanecido estável nos últimos três anos na cidade de São Paulo.

 

No ano passado, 1.365 pessoas morreram no trânsito da capital. Entre elas, 617 pedestres, 512 motociclistas, 187 motoristas e passageiros, e 49 ciclistas.

 

A falta de conhecimento de motoristas sobre o direito de pedalar nas ruas está entre as principais queixas dos ciclistas.

 

Em maio, a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) lançou a campanha pró-ciclista, que intensificou as multas contra motoristas que se aproximam demais ou ultrapassam de forma perigosa as bicicletas. No primeiro mês da iniciativa, foram 91 autuações.

 

A assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Saúde, responsável pelo texto, informou que a opinião do médico não representa a opinião da pasta.

 

Em nota, o Governo do Estado de São Paulo informou que "é absolutamente favorável à ampliação do uso de bicicletas na capital e em todo o Estado, não só para lazer como também para trabalho. Trata-se de meio de transporte não poluente e que traz qualidade de vida às pessoas."

 

O governo informou ainda que tem feito esforços para melhorar "a oferta deste tipo de transporte à população".

 

A capa do "Diário Oficial" do Estado pode ser acessada neste link.

 

 

 

PUBLICADO EM 11/07/2012

Leia esta notícia no site original