Kassab entrega apenas 4,5 km de ciclovias por ano

 

Prefeitura alega ter construído 76 km de vias para ciclistas, mas inclui na conta ciclofaixas que funcionam apenas aos fins de semana

Por Felipe Rousselet

 

No plano de metas da Prefeitura, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, prometeu construir 100 quilômetros de ciclovias na cidade até o fim de 2012. Do total prometido, só foram entregues 18 quilômetros, uma média de apenas 4,5  por ano.

 

A Prefeitura informa ter construído 76 quilômetros de ciclovias, mas, deste total, 13 quilômetros foram instalados dentro de áreas verdes e 45  nas chamadas ciclofaixas de lazer, que funcionam somente aos fins de semana.

 

Para o vereador Chico Macena (PT), autor da lei que cria o Sistema Cicloviário de São Paulo, a prefeitura não deveria contabilizar estas iniciativas como parte da meta prometida.  Na opinião do cicloativista Thiago Benicchio, as ciclofaixas de lazer não funcionam para o transporte. “Elas são rotas operacionais para um evento específico de fim de semana. Assim como a prefeitura fecha ruas para a São Silvestre e não pode afirmar que existe uma pista de cooper de 15  quilômetros em São Paulo, da mesma forma, ela não pode contabilizar as ciclofaixas de lazer como via de transporte”, afirmou.

 

De acordo com um levantamento da associação de ciclistas Ciclocidade,  São Paulo conta hoje com 110 quilômetros de estruturas destinadas aos ciclistas divididas em três categorias: ciclovias, ciclofaixas e vias de trânsito compartilhado (vias onde existe sinalização para ciclistas). Para Benicchio, os dois grandes problemas das ciclovias de São Paulo são as falhas técnicas na execução dos projetos e a falta de planejamento urbanístico coerente na definição das rotas.

 

Por outro lado, a CPTM investe na Ciclovia da Marginal Pinheiros, que possui 18,8  quilômetros de extensão. Mas na última quinta-feira, 22, a companhia informou que a ciclovia será fechada aos domingos e segundas-feiras, por nove semanas, para trabalhos de modernização da Linha 9 (esmeralda). A CPTM alega que a via será utilizada por carros, caminhões e equipamentos que trabalham nas obras da linha férrea. Nas segundas, será feito o trabalho de limpeza e manutenção da ciclovia.

 

A notícia desagradou os ciclistas que fazem uso da via. Pelo Twitter, o ciclista Ricardo Yasuda criticou a medida. “Aí o ciclista pega a marginal porque a ciclovia está fechada e ele que é imprudente”, disse. Outro problema da ciclovia é que ela fecha às 18h15 por falta de iluminação. A CPTM tem um projeto de instalar 700 postes alimentados por energia solar, mas, ainda busca patrocinadores para colocá-lo em prática. Segundo Benicchio, a prefeitura deveria distribuir melhor os recursos entre as diversas formas de transporte, assim não teria de recorrer à iniciativa privada na realização de obras em via pública.

 

Promessas não cumpridas

 

Dos 223 itens que a Prefeitura incluiu no plano de metas, chamado de Agenda 2012, Kassab só cumpriu 28% do que foi prometido. Metas fundamentais para a cidade estão longe de serem cumpridas como, por exemplo, os 66 quilômetros de corredores de ônibus prometidos. Até agora, nenhum quilômetro foi entregue à população. Das 223 promessas; 64 foram cumpridas, 156 estão em andamento, e três nem sequer foram iniciadas. A construção de mil postos de coleta de material reciclável, a capacitação de 50 mil trabalhadores por meio de ensino a distância e o investimento de R$ 300 milhões no Rodoanel não saíram do papel.

 

Em nota, a prefeitura se defende informando que das 155 metas em andamento, 74 delas já beneficiam diretamente a população. Apesar de apenas 64 itens terem sido concluídos, a prefeitura avalia o seu índice de eficácia em 69%.

 

Com relação às obras não iniciadas, a prefeitura informou que os locais para a implantação de mil pontos de coleta já estão sendo definidos pela Secretaria de Serviços e o Termo de Referência para contratação da empresa que irá operar o sistema de educação a distância está em fase de finalização. De acordo com a nota, “o governo estadual está usando verbas da União na obra do Rodoanel e ainda não solicitou colaboração do Município”.

 

 

Leia a notícia no veículo original