Contribuições públicas para a nova licitação dos ônibus são entregues ao secretário de transportes

busaodossonhos

A Ciclocidade focou na questão do treinamento, capacitação, fiscalização e eventual punição a motoristas de ônibus

Ontem pela manhã (31/8), representantes das organizações Greenpeace, Idec, Apé - Estudos em Mobilidade, Cidade a Pé, Minha Sampa e Rede Butantã entregaram em mãos ao secretário municipal de transportes, Jilmar Tatto, as contribuições da sociedade civil coletadas durante a campanha #busãodossonhos.

As solicitações abordaram principalmente no cumprimento do Plano Municipal de Mudanças Climáticas, pelo qual 100% da frota de ônibus deve rodar com combustíveis renováveis ou motor elétrico até 2018, e em garantir a intermodalidade por bicicleta, ou seja, possibilitar que as pessoas levem suas bikes nos ônibus ou deixem-nas em segurança em bicicletários implantados nos terminais. É possível ler mais sobre as reivindicações de cada organização na matéria publicada pelo Greenpeace.

Veja abaixo a proposta protocolada pela Ciclocidade:

 

À Comissão Especial de Licitação
São Paulo Transporte S/A ­ SPTrans

REF.: CONTRIBUIÇÕES À CONSULTA PÚBLICA DO EDITAL DE LICITAÇÃO DA CONCESSÃO DE LINHAS DE ÔNIBUS DE SÃO PAULO

Proposta: Inclusão de item sobre treinamento, capacitação, fiscalização e punição de condutores

A Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo (Ciclocidade) vem, por meio deste ofício, solicitar a inclusão de ítem, no edital de licitação, acerca da obrigatoriedade das empresas de ônibus de São Paulo na realização de ​treinamento, capacitação, fiscalização e punição ​​em relação à convivência dos seus condutores e dos usuários de bicicleta.

De acordo com dados da CET, em 2014, das 47 mortes de ciclistas no trânsito paulistano, 11 foram causadas por motoristas de ônibus, ou seja, ​mais de 23% delas​​.

Em decorrência deste número alarmante de atropelamentos e colisões envolvendo os dois veículos acreditamos que uma ação com todas as empresas de ônibus, operadoras do futuro sistema, deverá ser constante e obrigatória.

Sobre cursos de treinamento e capacitação, nossa sugestão é que constem desde já ­ no edital de licitação ­ que o conteúdo e a metodologia completa destes serão submetidos à aprovação da Câmara Temática de Bicicleta, vinculada ao Conselho Municipal de Trânsito e Transporte (CMTT); garantindo, desta forma, participação e controle sociais na formulação desta importante política para um trânsito mais harmonioso.

Atenciosamente,

Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo