Relato da segunda reunião com comerciantes e Poder Público sobre as conexões cicloviárias em Pinheiros

PinheirosCET

Estudos de conexões para chegar à estação Pinheiros
(imagem com base nas propostas da CET)

Na noite desta quinta-feira (1/6), a Prefeitura Regional de Pinheiros abrigou a segunda reunião em 2017 sobre conexões cicloviárias, cuja pauta (não divulgada previamente) foi focada na interligação do eixo Faria Lima-Pedroso de Morais com a estação Pinheiros de trem, ônibus e metrô.

Presentes no encontro estavam diversos comerciantes da região, representantes da gestão municipal (Prefeitura Regional, Secretaria de Mobilidade e Transportes e CET), ciclistas avisados pela Ciclocidade e por representantes da população local eleitos para o CADES e CPM - ciclistas e residentes locais ficaram sabendo dos encontros de forma indireta.

A CET fez uma apresentação focada sobretudo em um trecho da rua Costa Carvalho (ver mapa acima), único local questionado anteriormente, por comerciantes receosos com perda de receita e segurança para pedestres. Foram apresentados dados sobre a região, como os relativos ao uso do solo e às vagas de estacionamentos, e mostradas duas opções para este trecho, com suas vantagens e desvantagens: ligação via rua Costa Carvalho (apenas) ou via Costa Carvalho incluindo as ruas Vopubassu e Nicolau Gagliardi.

O representante da Ciclocidade e do CADES  fez um breve relato sobre a campanha "Bicicleta faz bem ao Comércio" e a proposta de estudo de impactos na rua Costa Carvalho, que está começando a ser desenhada em parceria com a UFRJ. Alguns comerciantes gostaram e mostraram interesse nos estudos; outros reiteraram alguns receios, sobretudo perda de receita e segurança para pedestres, relacionados à implantação de uma ciclovia em frente a seus negócios.

Muitos comerciantes indicaram que as ciclovias devem vir acompanhadas por melhora da iluminação na rua e a transformação das vagas de estacionamento para Zona Azul. Também foi mencionada a necessidade de melhoria das calçadas, algo que os comerciantes devem fazer.

Uma terceira possibilidade de conexão, conectando a rua Nicolau Gagliardi diretamente com a Av. Prof. Frederico Hermann Júnior acompanhada de eficazes ações de acalmamento de tráfego, foi desenvolvida durante a reunião.

O representante da Ciclocidade e do CADES reiterou a sugestão de que representantes de ciclistas (por exemplo da Ciclocidade e Câmara Temática de Bicicleta) e da população local  (por exemplo, do CADES e da CPM) devem ser  convidados para reuniões como essa, com pauta previamente  divulgada. Também foi pedida outra reunião para falar das demais conexões cicloviárias da região toda, incluindo os projetos já aprovados para 3 pontes e  a atual situação perigosa de interdição da ciclovia da Av. Rebouças.

201706 ReuniaoPinheiros ConexoesCicloviarias
 

Respostas do Secretário

O secretário de mobilidade e transportes, Sergio Avelleda, se desculpou pela falta de convite aos ciclistas e representantes da população local, disse que melhorias serão feitas a partir dessa primeira experiência e aceitou fazer as conversas solicitadas pela Ciclocidade em duas datas que serão marcadas em breve.

Avelleda também indicou que em todas as opções avaliadas pela CET a melhoria da iluminação serão incluídas e pediu para que comerciantes e ciclistas reflitam sobre as diferentes opções de conexão cicloviária, colocando-se inclusive na posição do outro. Uma nova reunião está marcada para o dia 22/6, às 19h30, também na Prefeitura Regional de Pinheiros, para  avançar com as reflexões e partir para a tomada de decisão.

Considerações pós reunião

  1. A melhor opção parece ser via rua Costa Carvalho toda (ver mapa acima). Trata-se de um trecho mais curto e com possíveis impactos majoritariamente positivos para os comerciantes; a pior opção parece ser a que inclui o trecho da rua Vopubassu, devido a riscos de acidentes, opiniões ainda desconhecidas de comerciantes nessa rua e aumento de cerca de 200m em trecho plano. A opção conectando a rua Nicolau Gagliardi diretamente com a Av. Prof. Frederico Hermann tem as desvantagens de gerar um aumento de cerca de 150m em trecho plano e ser a mais cara, mas tem a vantagem de incluir ações de acalmamento de tráfego que, se eficazes,  ajudariam a minimizar os riscos que  existem para pedestres na travessia da rua Vopubassu e da Av. Prof. Frederico Hermann Júnior;
  2. Diversos comerciantes pareceram topar ou mesmo  querer a ciclovia na frente de seus estabelecimentos e possivelmente convençam os descontentes até a próxima reunião;
  3. As outras duas reuniões aceitas pelo secretário serão oportunidades importantes para tentar avançar com a manutenção e as outras novas conexões da rede cicloviária da região.