Relatório Contagem - Estr. Imperador X Av. Águia de Haia - Setembro-2020

 

C O N T A G E M DE C I C L I S T A S

Estrada Imperador com Av. Águia de Haia

 • quinta feira, 17 de setembro de 2020 •

 • das 6h às 20h •

Imperador2016_Capa.jpg

foto Eduardo Magrão

INTRODUÇÃO

Após quatro anos, a Ciclocidade junto ao coletivo Bike Zona Leste, realizam mais uma contagem no cruzamento da Estrada do Imperador com a Avenida Águia de Haia. 

Como objetivo, além de dar sequência histórica ao primeiro levantamento, iremos observar esses novos dados e suas comparações com a contagem anterior.

Esta contagem faz parte de um projeto de quatro contagens na região de Ermelino Matarazzo. A escolha do território se deu a partir de uma combinação entre um olhar inicial sobre os dados de viagens de bicicleta da Pesquisa Origem e Destino 2017 do Metrô e uma avaliação conjuntural de quais subprefeituras da cidade a Ciclocidade conseguiria ter boa capacidade de interlocução, de modo a promover alguma incidência.  

No que se refere à malha cicloviária, a Subprefeitura de Ermelino Matarazzo possui 26,1 km de infraestrutura implantada. A malha de ciclovias e ciclofaixas segue o perfil das faixas de ônibus.

De acordo com o PlanMob 2015, há alguns corredores de ônibus previstos para serem implantados na Subprefeitura e o conhecimento sobre a implantação destes corredores é importante pois a Lei 16.885/2018, que atualiza o Sistema Cicloviário de São Paulo, diz que “todos os projetos de reforma, ampliação ou construção de vias públicas devem contemplar o acesso e circulação de bicicletas, em conformidade com estudos técnicos” (Artigo 10). Corredores de ônibus, portanto, devem garantir, desde o projeto, a circulação segura de ciclistas.

No eixo perimetral, fazendo uma ligação norte-sul, está previsto o corredor Águia de Haia - Paranaguá (2024) e corredor Augusto Antunes - Abel Tavares (2024), passando pelas avenidas de mesmo nome.

Atualmente, há 26,12 km de ciclofaixas e ciclovias implantadas em Ermelino Matarazzo. Segundo o planejamento previsto no PlanMob, outros 25 km de infraestrutura cicloviária deveriam ser implantados, dos quais 19,7 km junto à infraestrutura de priorização de ônibus

Do Plano Cicloviário 2019, cerca de 7 km seriam implantados até 2020 no território da Subprefeitura: a continuação da ciclofaixa da Av Assis Ribeiro e infraestruturas cicloviárias nas avenidas São Miguel e Águia de Haia.

Com relação à Segurança Viária, ao calcular as unidades UPS (Unidade Padrão de Severidade, que relaciona o número de vítimas fatais e feridas, o número de vítimas pedestres feridas e faz a ponderação pela extensão da via), para o território de Ermelino Matarazzo, a Av. Águia de Haia, aparece como uma das vias mais perigosas.


IMG_20161111_115918553_HDR.jpg

foto Yuri Vasquez

A avenida Águia de Haia (imagem acima) atualmente é composta por duas faixas de rolamento de cada lado, sendo que uma delas abriga um faixa de ônibus (em ambos os sentidos), apresentando ainda um largo canteiro central. São inúmeros os pontos que justificam a implantação da ciclovia ali:

  1. A avenida Águia de Haia começa na avenida São Miguel (importante via de ligação  sentido bairro-centro), atravessa parte da Zona Leste e segue rumo ao metrô Artur Alvim. No seu trajeto, cruza com mais duas vias estruturais importantes: as avenidas Imperador e a Campanella, sempre muito utilizada por ciclistas da região.
  2. A avenida Águia de Haia se enquadra numa estrutura perimetral. A implantação da ciclovia nesta via ligaria vários bairros a duas outras ciclovias importantes e que já estão em funcionamento: a que passa pela avenida Calim Eid (Tiquatira) e a da Radial Leste. A ciclovia desta última chega até a estação Tatuapé do metrô e conecta com o sistema cicloviário que vem da avenida São Miguel (desde a Vila Jacuí), recebendo fluxos de ciclistas de bairros como Ermelino Matarazzo, Parque Buturussu, São Miguel, entre outros da Zona Leste.
  3. O percurso existente nesta via é majoritariamente plano e reto. Guardadas as devidas proporções, a avenida Águia de Haia é um espigão semelhante ao da avenida Paulista, condição que obedece ao princípio de linearidade.
  4. Outro fator é a intermodalidade. Existem nesta via dois grandes terminais de transporte público: um de ônibus (Terminal A E Carvalho); e, na sua continuação, a  Estação do  Metrô Artur Alvim. 
  5. Mais um forte argumento recai sobre a funcionalidade relativa ao uso. A avenida apresenta uma grande variedade de atividades com alto fluxo de pessoas ao longo de seu trajeto: uma Fatec, uma Etec, um complexo Poliesportivo do SESI, uma delegacia (64º DP), dois grandes supermercados, uma Caixa Econômica Federal, uma agência dos Correios, a sede do 39º Batalhão da Polícia Militar, 3ª Cia Força Tática e Posto dos Bombeiros, na esquina com a avenida Imperador.
  6. Finalmente, esta contagem mostra um aumento de mais de 50% de ciclistas circulando neste cruzamento, em comparação ao levantamento de 2016. Mais da metade (65%), circulava de ou para a avenida Águia de Haia, evidenciando que já há uso frequente da via como trajeto para os deslocamentos em duas rodas na região.

Sobre o método

O método utilizado para a contagem foi desenvolvido pela Associação Transporte Ativo, do Rio de Janeiro (www.transporteativo.org.br). Trata-se de uma planilha com um desenho esquemático do ponto de contagem, com espaços a serem preenchidos com a origem e o destino do ciclista, além de informações complementares, como acessórios, faixa etária, gênero, tipo de bicicleta etc.

LOCAL DA CONTAGEM

Estrada Imperador com Av. Águia de Haia

Imperador2016_Mapa3.jpg

Imperador2016_Mapa2.jpg

RESULTADOS

NÚMERO TOTAL DE CICLISTAS

1.060

Média de ciclistas por hora

75,71

Média de ciclistas por minuto

1,26

Número de ciclistas que passaram pelo cruzamento no período de 14 horas









Horários mais intensos de fluxo de ciclistas:

Período da manhã: de 7h às 8h, totalizando 88 ciclistas

Período da noite: de 17h às 18h, totalizando 158 ciclistas


Comparativos Fluxos e Média de Ciclistas

2016 e 2020

 

 

GRÁFICOS - ORIGENS E DESTINOS

Ilustração com o total de origens e destinos dos ciclistas.





GRÁFICOS - GÊNERO E FAIXA ETÁRIA

 


O número de mulheres em bicicletas nas zonas periféricas costuma ser extremamente baixo, ficando na casa dos 2-3%. No caso do cruzamento das avenidas Imperador com Águia de Haia, vemos que o pico dos deslocamentos de mulheres se dá na parte da tarde, a partir das 16h. Em 2020, houve um discreto crescimento de ciclistas mulheres.

Já o número de crianças e/ou adolescentes em bicicleta, segundo o histórico de contagens, tende a ser maior justamente nas zonas periféricas, registrando taxas consideravelmente maiores do que as regiões centrais. Este ponto de contagem segue esta tendência e registra 12%, similar ao que registramos nas contagens em Heliópolis e na Av. Inajar de Souza. Como na contagem passada, o pico acontece à tarde, a partir das 14h, e segue alto até o final da pesquisa, às 20h.


foto Eduardo Magrão

O número de idosos e idosas sofreu um leve decréscimo. Provavelmente devido ao período de pandemia.

Comparativos Gênero e Faixa Etária: 2016 e 2020



GRÁFICOS - TIPOS DE BICICLETA




Houve um aumento no número de bicicletas de serviço circulando pela região: de 2% em 2016, subiram a 5% em 2020. Este aumento vem ocorrendo nas últimas contagens em várias regiões da cidade, devido ao aumento do uso de aplicativos e outros serviços de entregas, principalmente no período da pandemia.

Também houve aumento nos números de bicicletas elétricas.

Praticamente não houve incidência de skates (apenas 1). Não há serviços de bicicletas compartilhadas.

Comparativos Bicicletas de Serviço: 2016 e 2020





GRÁFICOS - MODO DE DESLOCAMENTO




Na via onde existe uma infraestrutura exclusiva para ciclistas, é muito menor a incidência de deslocamentos pela calçada e na contramão. Porém, notamos um movimento de ciclistas que fazem um pequeno trecho pela calçada porque não vale a pena passar pelo cruzamento para pegar um trecho de ciclovia, pois esse movimento os fariam desviar de um caminho mais direto aos seus destinos.


foto Eduardo Magrão

 

Comparativos Modos de Bicicleta: 2016 e 2020


GRÁFICOS - DADOS COMPLEMENTARES








      

foto: Yuri Vasquez          foto: Eduardo Magrão

 

Comparativos Dados Complementares: 2016 e 2020




EM NÚMEROS

Complementos

nº de ciclistas

% aproximada de ciclistas

Fora da Ciclovia

46

4%

Na calçada*

192

18%

Na contramão*

127

12%

Mulher

35

3%

Criança/Adolescente

125

12%

Mais de 60 anos

30

3%

Luzes

70

18%

Capacete

157

15%

Mochila/Bagagem

282

27%

Serviço/Cargueira/Triciclo

12

2%

Bicicleta Elétrica

57

5%

Skate

1

0,1%

Carona / garupa

26

2%

 

* “Na calçada” e “na contramão” pode ser em qualquer situação: tanto no trecho compreendido pelo ciclovia, como em outros trajetos. 

Aspectos Territoriais - Local da Contagem e Arredores

 

Tipo de Estrutura Cicloviária

A Av. Imperador possui uma ciclofaixa na via, ladeando o canteiro central desde a praça Frei Albino Arezzi até a avenida Pires do Rio. A avenida Águia de Haia não possui estrutura cicloviária.

Estrutura Cicloviária prevista

Do Plano Cicloviário 2019, cerca de 7 km seriam implantados até 2020 no território da Subprefeitura de Ermelino Matarazzo, incluindo infraestrutura cicloviária na avenida Águia de Haia.

Número de faixas de tráfego motorizado

A avenida Águia de Haia é composta por duas faixas de rolamento de cada lado sendo a faixa da direita exclusiva para ônibus nos dois sentidos, em horários determinados (5h às 9h e 17h às 20h) e comporta um largo canteiro central. A Av. Imperador possui três faixas de rolamento, sendo uma delas um corredor de ônibus (em ambos os sentidos).

Velocidade regulamentada na via

A velocidade regulamentada nas avenidas é de 50 Km por hora. Ambas possuem radares em alguns pontos, porém, isso não inibe o descumprimento deste limite por parte dos condutores de automóveis e ônibus nos trechos sem fiscalização.

Conexões

  1. Transporte Público

A ciclofaixa da avenida Imperador  está conectada com a avenida Águia de Haia, onde existem dois grandes terminais de transporte público: um de ônibus (Terminal A E Carvalho); e, na sua continuação, a  Estação do  Metrô Artur Alvim.

  1.   Outras Infraestruturas Cicloviárias

O ponto da contagem localiza-se na esquina da Av. Imperador e conecta-se com a Av. Águia de Haia. Esta faz ligação com as ciclovias da avenida Calin Eid (Tiquatira), com a ciclovia da avenida Radial Leste e malha cicloviária da avenida São Miguel.

  1.   Equipamentos Culturais, de Lazer, Educacionais, de Saúde etc.

A avenida Águia de Haia, possui no seu trajeto uma grande variedade de atividades com alto fluxo de pessoas: uma FATEC, uma ETEC, um complexo Poliesportivo do SESI, uma delegacia (64º DP), dois grandes supermercados, Caixa Econômica Federal, agência dos Correios, a sede do 39º Batalhão da Polícia Militar, 3ª Cia Força Tática e Posto dos Bombeiros na esquina com a avenida Imperador.

Uso do solo

Uso do solo variado e misto, composto por residências, comércios,  e equipamentos públicos.

Arborização

A ciclofaixa da avenida imperador tem boa arborização, assim como a avenida Águia de Haia

O calçamento é precário e degradado. A maioria dos pedestres que circulam pela região utiliza uma rota que existe no canteiro central.



Realização

CICLOCIDADE - Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo

www.ciclocidade.org.br

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

e

Bike Zona Leste

 

Coordenadora geral: Tais Balieiro

Coordenador local: Eduardo Magrão

 

Colaboradores:

Adriano Pereira dos Santos

Leandro

Suzana Maia

Laerte Bernardi

João Bosco Timóteo de Carvalho

Aline Pellegrini Matheus

Rogério dos Santos Raimundo

Márcia Ferreira Nogueira

Otto Fernog Gonçalves

Felipe Placiano Claros

Maiar Darweesh

 

Esta contagem foi feita de acordo com metodologia desenvolvida pela

Associação Transporte Ativo

www.ta.org.br



Imperador2016_Equipe1.jpg

Imperador2016_Equipe3.jpg

Imperador2016_Equipe4.jpg

Imperador2016_Equipe2.jpg