Planejamento 2016 - Ata da 2ª Etapa

Ata - 2ª Reunião - Planejamento Ciclocidade 2016

Data: 13 de fevereiro de 2016.
Local: Contraponto - Rua Medeiros de Albuquerque, 55.

Programação
Apresentação de ações previstas e cronograma - 30 min.

Debate geral das ações - 180 min

Debate geral da estrutura /GTs - 60 min

Encaminhamentos - 50 min

Informes

Bicicultura: data de realização, de 26 a 29 de maio de 2016. As comissões já estão organizadas e o conselho geral também já está funcionando.

Projetos e Cronogramas Previstos

1. Campanha Bike Faz Bem ao Comércio - janeiro a março

2. Tratamento de dados de Ciclomobilidade - fevereiro a abril

3. Eleições de diretoria da Ciclocidade e assembleia - março

4. Fórum Mundial da Bicicleta 2016 (representação) - março a abril

5. Vision Zero - abril-julho

6. BICICULTURA - fevereiro a junho

7. Mini edital de apoio a iniciativas de articulação local - junho a julho

8. Bicicleta nas Eleições - agosto- outubro

9. Pesquisa inédita - mês da mobilidade em setembro

10. Formação de Ciclomobilidade (1 turma) - outubro a novembro

11. Mão na Roda - ano todo

- Edição dirigida a mulheres (eventualmente outros grupos não homens cis)

12. Ciclodebate 1 edição - indefinido.

Outras pautas:

  • Eleição do CMTT
  • GT’s

1. Projetos e Ações Definidos

1.1 Campanha Comércio

  • Necessita de mais apoio à coordenação.
  • Criar pontos de distribuição: divulgação na Mão na Roda e Aro27, por exemplo, como ponto de distribuição.
  • Realizar video do comercio na periferia, fora do centro expandido.
  • Mapear, focar em parceiros: Fecomercio, Bike Courriers, associações do comércio etc.
  • Vídeo de apoio de grandes parceiros: Sebrae, associação de comerciantes etc.

1.2 Dados Ciclomobilidade

  • Realizar convênio com FGV e outros.
  • Roteiro dos dados para atualização, um resumo executivo contendo perfil da pesquisa.
  • “Escola de Dados” pode ser parceiro e referência.
  • Coordenação por Letícia Lemos.
  • Estabelecer diálogo com CEBRAP.
  • Fazer hackatona

1.3 Vision Zero

  • Bicicultura como espaço de articulação.
  • Edital Bloomberg, participar com proposta para Vision Zero, prazo do projeto é junho.
  • Diálogo com engenheiros, arquitetos, sindicatos, cursos da academia para workshop técnico ou painel no Bicicultura que trate do tema.
  • Perspectiva de tirar um manifesto do Bicicultura (para tal, há de se pensar na metodologia dos encontros no Bicicultura para constituir o manifesto).
  • Ser o tema das eleições em São Paulo e em outros lugares que queiram somar nessa campanha.

1.4 Edital Ações Locais

  • Debate sobre operação urbana Tamanduateí (pontuar edital para escolha de ações).
  • Ampliar para região metropolitana.
  • Edital pode ficar aberto por um período longo, aberto com prazo estabelecido.
  • Conhecer, compreender o VAITEC - forma de apoio para grupos conseguirem montar projeto, realizar oficinas de projetos.
  • Criar um fundo, pode ser ampliado com crowdfunding, doações.
  • Criar uma comissão de organização (GT Articulação pode virar GT Edital - VaiBici - para elaborar e conduzir o processo de lançamento deste).

1.5 Eleições

  • Carta compromisso com consulta pública para os candidatos.
  • Pedal com os candidatos.
  • Criar GT para acompanhar os programas de governo e pautar mobilidade.
  • Articular grupo para cada campanha e com ações de rua.
  • Pautar mídia.
  • Hotsite para legislativo.
  • Coalizão para mobilidade ativa.

1.6 Pesquisa Inédita

  • Pesquisa do GT Gênero que será lançada neste primeiro semestre.
  • Articular por outras vias, Vision Zero.

1.7 GT Gênero

  • Ação em 8 de março, roda de conversa e outras atividades.
  • Proposta para Bicicultura: mesas para palestra magna.

1.8 Mão na Roda

  • Rever apoio financeiro.
  • Retratar o ambiente para melhorar as relações de gênero.
  • Tornar o espaço ainda mais como lugar de trocar de ideias, espaços de trocas informais.
  • Formações periódicas entre Ciclocidade e Mão na Roda.
  • Espaço da MNR no CCSP, torná-lo mais acolhedor, não só uma oficina de conserto de bicicleta.
  • Estabelecer o regimento interno como orientador da conduta de colaboradores e, possivelmente, criar um conselho para orientar os rumos e ajudar no processo de manutenção da oficina.

Encaminhamentos Gerais

  • Eleição do CMTT: eleição será no final de março e haverão 2 vagas com suplências. Ciclocidade articular com outros grupos a Câmara para articular candidatas e candidatos, já que haverá de ser preenchida vaga com mulheres.
  • GT’s: todas as sugestões sobre permanência, reformulação e extinção haverá de ser revisto. Posteriormente, será feito uma consulta geral sobre quais os GT’s permanecem e ações futuras.
  • Eleições Diretoria Ciclocidade: realizar reunião extraordinária para formar comissão da eleição, articular as candidaturas e chapas e definir a formação do conselho para ir para assembleia. Diretoria irá propor data e comunica geral.

SISTEMATIZAÇÃO DA 1ª ETAPA PLANEJAMENTO 2016 - Diretrizes, orientações, sugestões

A. Orientações Sobre Projetos e Ações

  • Ciclocidade: realizar a festa de 7 anos da ciclocidade. Reforçar a diretoria de Cultura e Formação. Refletir sobre as atividades meio da associação: diretoria/núcleo gestor e/ou profissionais.
  • Bicicultura vai ser a ação principal deste ano com grande potencial de dar gás em ações e pautar eleições de várias cidades. Dar o tom das estratégias eleitorais.
  • Pesquisas: sistematização de dados para gerar ações midiáticas. Buscar agência Ipsos de pesquisas eleitorais: uma forma de aproximação para melhorar as perguntas de pesquisas relacionadas a bicicleta. Dados ciclomobilidade: estabelecer convênio com a FGV; contagens de ciclistas têm que ser destacados, publicizados com varios artigos; priorizar dados brutos; destacar tópico e quem realizou, abrir resumo executivo de cada uma das pesquisas com dados voltados para o nosso foco. Pesquisa inédita: relacionar a pesquisa ao Vision Zero; tirar do Bicicultura o escopo da pesquisa, lançar no mês da mobilidade e ainda apresentar calendário eleitoral; do GT Gênero, a saber; blocos de pesquisa de perfil - gênero, intermodalidade etc.
  • Ações midiáticas: promover campanhas, ações de publicização com dados de pesquisas que tratem de políticas públicas; acompanhamentos das obras em andamento e/ou paralisadas; sobre relação comércio, negócios e bicicletas; promover a Mão na Roda; e para tratar das eleições e comprometer programas de governos com a mobilidade urbana.
  • Ciclodebate: realizar e lançar conteúdos nas mídias sociais; estabelecer parceria com IES; aproveitar a vinda de palestrantes, pessoas da bicicleta que já estejam na cidade, divulgar entre associados para ficarem atentos a essas presenças, para realizar ciclodebate.
  • Vision Zero: promover conteúdos sobre o tema ao longo do ano; criar força total dentro da programação do Bicicultura para difundir o tema e constituir uma rede em torno de como ampliar a campanha.
  •  Formações de ciclomobilidade: propõe-se para 2016: uma formação obrigatória para voluntários da Mão na Roda (condutas, ciclomobilidade, conceitos, história, contexto da cidade e do movimento de bicicleta); e uma formação para mais pessoas no segundo semestre; menores para ações locais, miniformação. poderia até cobrar. 2 dias interno e um terceiro em ação de rua indicada; relacionar com mini editais.
  • Mão Na Roda: maior presença da diretoria. Buscar educador e pedagogo, não necessariamente monitor, para colaborar no processo de aprendizagem, objetivo central da oficina. Ajuda de um pedagogo para fazer entender o ponto principal: você é um educador e tem responsabilidade em relação ao projeto e às pessoas. Cultura de responsabilidade, não de hierarquia. O voluntário precisa de didática para ensinar, muitas vezes não sabe como. Realizar formação complementar além da mecânica. Destinar um espaço maior no site para Mão na Roda; realizar pesquisa de pefil do usuário da Mão na Roda; estabelecer integração dos integrantes Mão na Roda e as atividades da Ciclocidade; formação para “monitores”, sem estabelecer status hierárquico; rodas de conversa; mural mais comunicação; presença da diretoria na Mão na Roda e reunião; remunerar atividade itinerante; mudar forma de comunicação interna e externamente; para voluntariado, discutir e encontrar forma de envolvimento nas atividades da Ciclocidade.
  • Eleições 2016 - Diretoria: destacar nas divulgações a data da assembleia. como um aviso; no estabelecimento da comissão eleitoral estipular prazo suficiente para novos associados poderem votar e se candidatarem.
  •  FMB 5: levar tudo o que a Ciclocidade tem de materiais, pesquisas; estabelecer relacionamento com o poder público e outras organizações; discutir a possibilidade de trazer o FMB 6 para São Paulo, pensando na estrateégia de pressionar e mostrar para a nova gestão municipal a força da sociedade e da mobilidade por bicicleta.

B. Orientações para GT’s e organização dos mesmos

  • GT’s, forma mais ampla e possivel de realizar o trabalho, e acerto no estatuto para conselho consultivo/diretivo na Ciclocidade.
  • GT Captação deve ser ampliado para uma comissão de captação para o Bicicultura.
  • GT Associação: repensar a saúde financeira da associação, estabelecer metas para reduzir a dependência do Itaú ou de apoio único; realizar campanha de associados para fortalecer e ampliar. Ter um box nas bicicletarias com ficha de associação, adesivos, livros etc.
  • Os Gt’s devem ter clareza nas coordenações das ações dos trabalhos, mas sem rigidez.
  • Extinguir o GT Articulação e de Captação.

GT Articulação

  • Edital de grupos locais também para outras cidades;
  • promover articulações com púbico e privado, buscar outras associações e grupos de ciclistas, promover ações comuns com esses diversos grupos em toda São Paulo; colocar outros municípios em tudo;
  • articular, convocar e incluir outros atores no processo de política de mobilidade da Ciclocidade: caminhantes, grupos de pedal, projetos em praças e parques que lidam com bicicleta, conselho gestor, automóvel clube e moto clube;
  • antes de lançar o edital, promover um esforço de mapeamento das iniciativas locais e pessoas envolvidas com bicicletas; não fechar, inicialmente, no edital.

GT Associação

  • GT está desarticulado, considera-se dividir as tarefas atribuídas a este GT com outros e extingui-lo;
  • deixar fichas na Mão na Roda para colaboradores.

GT Comércio

  • Ampliar para negócios de bicicletas;
  • empresas grandes com bicicletários na campanha do comércio;
  • Selo para o comércio no final do ano, bondes para colar adesivos e ampliar/estruturar o esforço individual, oferecer adesivos e manual do bike faz bem ao comércio para uma pessoa colar adesivos por onde passa. Bike It / Perfil + Selo;
  • convocar demais colaboradores para esforço individual de colaborar com o trabalho coletivo;
  • refazer tutorial;
  • descentralização do material de distribuição;
  • estabelecer parcerias com outras associações;
  • Campanha Bike Faz Bem ao Comércio: levar videos para outros locais (eventos) e Prefietura Municipal e São Paulo para locais públicos. TV do Metrô;
  • ACSP - divulgar vídeos e o material gráfico;
  • Feira do Empreendedor/Sebrae: videos e ação e panfletagem da cartilha;
  • passar os videos antes de filmes nos cinemas do Itaú;
  • usar percurso para novas edições dos vídeos (mais curtas, por exemplo).

GT Câmara Temática/Executivo

  • Unir para único GT Relações Institucionais (executivo e legislativo) que contemple as relações governamentais; une tudo que é atuação junto ao governo, incluindo operações urbanas: acompanhamento do legislativo municipal, estadual, CMTT, legislações;
  • expansão da carta compromisso para outros municípios da grande São Paulo;
  • criar GT Operações Urbanas.

GT Comunicação

  • Ausência de pessoas para lidar com a tecnologia, portanto, faz-se necessário convocar mais colaboradores para o grupo com capacidade para colaborar com tecnologias site, sistema de associados e mídias sociais;
  • ampliar a atuação para formar grupos de colaboradores para atuar no Bicicultura, Vision Zero e eleições municipais;
  • utilizar das fichas de associados para identificar perfis, ou seja, no sistema de associados.

GT Ônibus, taxis e bicicletas

  • Buscar parceria do Uber.

GT Bicicleta nas eleições (Novo)

  • Criar este GT para tratar das eleições municipais e articular grupos estratégicos para pautar junto ao programa de governos dos candidatos a política de mobilidade. Grupos articulados em cada programa de governo;
  • usar material do ITDP e outros para subsidiar debates com candidatos e programas de governos;
  • questionário para atuais vereadores;
  • pautar mídia, estabelecer perguntas, questões estratégicas;
  • hotsite para candidatos ao legislativo;
  • reforçar plano de mobilidade - PlanMob;
  • agenda de rua: constranger os candiadatos na rua; ter perguntas chaves para esses momentos.