Projeto exige comprometimento dos candidatos a prefeitos e vereadores sobre mobilidade de bicicleta

 

Em meio a debates de candidatos políticos a vereadores e prefeitos, os brasileiros precisam se atentar a planos de governos, suas metas e compromissos. Para este momento, o Ciclocidade e o Instituto CicloBR de Fomento à Mobilidade Sustentável realizaram o projeto Eleições 2012 e a bicicleta em São Paulo. A ideia surgiu durante o planejamento estratégico da Ciclocidade, no final do ano passado. O objetivo é assegurar o compromisso de todos os candidatos ao Executivo Legislativo paulistano com a mobilidade por bicicletas, para aproveitar o período de visibilidade eleitoral e levar o tema para sociedade debater.

 

Para implementar essa ideia, as duas associações organizaram oito passos: 1) ideias iniciais dos candidatos a prefeito para a mobilidade por bicicletas; 2) diagnóstico do orçamento municipal de transportes; 3) consulta pela internet e relatório sobre os pontos que os ciclistas/sociedade consideram mais importantes; 4) "Carta de compromisso com a mobilidade por bicicletas" para os candidatos a prefeito; 5) agendamento de encontros com os candidatos a prefeito para assinatura da carta de compromisso; 6) "Carta de compromisso com a mobilidade por bicicletas" para os candidatos a vereador; 7) agendamento de encontro com os candidatos a vereador; 8) pedal eleitoral ("bondes" com eleitores pelas zonas de votação).

 

Entrevistado no início de agosto, Thiago Benicchio, jornalista e diretor geral da Ciclocidade, conta que atualmente o grupo está focado na parte dos vereadores. O primeiro passo foi buscar um contato inicial, quais seriam os ideais iniciais relacionados com o assunto. Junto com essas demandas, foi feito uma pesquisa com a sociedade para entender melhor essas prioridades e melhorar a mobilidade. Essa pesquisa foi complementada com um encontro presencial. “A ideia foi buscar o que a sociedade, por meio de uma pesquisa online, consegue detectar um pouco e o que iria nortear a carta de compromisso”, esclarece.

 

O jornalista explica que a Ciclocidade possui três áreas de atuação: pesquisa, participação e cultura da bicicleta, e formação do ciclista. Há quatro áreas de suportes: tecnologia, comunicação, associados e desenvolvimento institucional. Dentro de participação está o projeto Eleições 2012 e a bicicleta em São Paulo. A pesquisa inclui levantamento de dados, depois a relação com atores e entidades e cultura da bicicleta estão como programas educativos de estímulo de uso desse meio de transporte.

 

De acordo com Felipe Aragonez, diretor geral do Instituto CicloBR, explica que entidade atua de forma bem abrangente, não apenas no ciclista urbano. As atividades da organização são destinadas a pedaladas por lazer e turismo, incluindo parcerias com empresas privadas e poder público. O Instituto acompanha o projeto deste o início.

 

Consulta online

 

Realizado em meados de junho deste ano, as organizações realizaram uma pesquisa de opinião com a sociedade civil. Disponível entre os dias 22 de março e 4 de junho, receberam 1.017 respostas de 76 distritos da cidade: 68% dos entrevistados eram homens, enquanto 32% mulheres. E mais: 45% eram usuários de bicicleta, 44% usuários esporádicos e 12% não usuários. A maior parte estão na região centro oeste da capital paulista.

 

Já, em 2/6, fizeram um encontro presencial para aprofundar o debate entre a sociedade civil. Essas duas ações ajudaram na elaboração da carta compromisso, um documento que será oferecido aos candidatos às eleições deste ano no mês de julho. De acordo com as entidades, o objetivo é contar com o maior número de candidatos majoritários e com um número significativo de candidatos a vereador comprometidos com as propostas levantadas na carta. “Chegamos nesse documento e mandamos a todos os candidatos em um encontro para apresentação dos pontos. Ele poderia colocar as propostas deles, incluir seus comentários. Solicitamos entrevistas em vídeos, estamos terminando de editar, para publicar na sequência, com previsão até final de agosto”, prevê Thiago.

 

A pesquisa contou com 25 itens relacionados com mobilidade urbana por bicicletas e a pergunta Como você avalia a relevância dos seguintes itens para os próximos vereadores e prefeito de São Paulo? Estava organizado em cinco eixos: infraestrutura para circulação, educação e fiscalização, infraestrutura de estacionamento, administração pública e planejamento e outros programas e iniciativas. As respostas estavam divididas em cinco níveis: não é importante, pouco importante, importante, muito importante e fundamental, além de um campo aberto para outras sugestões no final do questionário. No ranking das mais importantes, as seis primeiras foram: fiscalização dos motoristas (95%); plano cicloviário para a cidade (94%); cumprimento de prazos para projetos cicloviários (94%); bicicletários integrados ao transporte coletivo (93%); educação aos motoristas (92%); e regulamentação das leis já aprovadas (91%).

 

Por outro lado, os seis primeiros tópicos listados como não é e pouco importante foram: tempos diferenciados de semáforo (27%); espaços para ciclismo esportivo (23%); ampliação da ciclofaixa de lazer (21%); fiscalização de ciclistas (16%); bike Box (14%); e rotas cicloturísticas (14%).

 

Próximos passos

 

Essa carta foi encaminhada a todos os candidatos, que poderiam incluir suas propostas e comentários em geral. Foram produzidos vídeos com suas falas, que está em processo de edição e com previsão de publicação até final deste mês. “Isso colocamos como obrigatório e a opção de pedalar conosco. Isso dá visibilidade ao tema. É uma troca justa”, ressalta Benicchio.

 

Já os vereadores contarão com uma versão e processo diferente ao processo destinado aos candidatos para prefeitura. Será uma espécie de abaixo assinado virtual para eles se comprometerem com aqueles pontos e os candidatos a vereadores interessados podem aderir. Essa dinâmica foi diferenciada devido ao alto número de participantes. “Pretendemos fazer um encontro com todos os candidatos a vereadores previsto para começo de setembro, junto com os vídeos todos editados dos candidatos a prefeitos. A carta dos vereadores é uma carta mais sintética, com pontos de legislação.

 

Quem assinou?

 

Já assinaram a carta e enviaram seus comentários: Paulinho Pereira da Silva, conhecido como Paulinho da Força (PDT); Gabriel Chalita (PMDB); Fernando Haddad (PT); Carlos Giannazi (PSOL); Soninha Francine (PPS); Celso Russomano (PRB). O último a assinar a carta foi o candidato José Serra (PSDB), que entregou em 10/8 e sua assessoria pontuou que os 10 pontos foram estudados detalhadamente e incorporados em seu plano de governo.

 

O que acontecerá com o candidato que vencer? “Ele se comprometeu e vamos acompanhar isso. Caso um dos que assinou, ganhe, se ele topar, pedala no primeiro dia de seu mandato para a Prefeitura. Assim que ele ganhar, vamos marcar uma reunião para acompanhar o que foi acordado”, explica Benicchio.

 

“As políticas públicas são muito incipientes. Precisamos estruturar um planejamento sério para o próximo prefeito. O candidato precisa estruturar seu mandato, tanto para cobrar e ajudar com conhecimento precisa da boa vontade de um bom planejamento”, opina Thiago Benicchio.

 

Para Felipe, do Instituto CicloBR, a bicicleta sempre foi um veiculo de transformação. “Agora está na moda, junto com a sociedade e mídia. A grande expectativa é ter de fato uma carta de compromisso, documentada, como está sendo feito todo o processo. O canal está aberto, para construir metas”, defende o diretor geral da entidade.

 

Fonte