Associação cobra ciclovia anunciada em 2004 na Av. Eliseu de Almeida

 

Subprefeito diz que estudos serão encaminhados para CET. Ciclocidade publicou relatório que mostra burocracia do projeto.

 

A Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo (Ciclocidade) organizou um ato na Avenida Eliseu de Almeida neste sábado (22), Dia Mundial Sem Carro, para cobrar a construção de uma ciclovia anunciada desde 2004 na via.

 

O grupo publicou no site da associação um relatório (confira a íntegra) no qual mostra toda a trajetória do projeto, desde seu anúncio em 2004, passando pelo ano de 2007, quando a Prefeitura anunciu a meta de entregar a obra em 2010.

 

Os ciclista defendem a criação de espaço para as bicicletas nas avenidas Eliseu de Almeida e Pirajussara, por serem um importante eixo de ligação na zona oeste da capital. Em abril deste ano, um ciclista foi atropelado e morto no trecho.

 

"Construir uma ciclovia nessa avenida dá segurança ao ciclista em um local que é o local mais plano e adequado para ele acessar a cidade vindo do Tabão e vindo de todos os bairros ao redor da Avenida Eliseu de Almeida", afirma Thiago Benicchio, diretor da Ciclocidade.

 

O subprefeito do Butantã, Daniel Rodrigueiro, diz que levantamentos serão encaminhados para a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) para ajustes e que, após isso, a implantação dependerá de decisão do governo. "Todos os técnicos trabalharam nesse projeto e agora é só nós encaminharmos para a CET para uma melhoria nos dados, e depois é decisão do governo", disse.

 

Estratégica

A ciclovia é considerada estratégica por ficar em uma região plana e que pode ser referência para moradores de bairros da zona oeste e também das cidades de Embu, Osasco e Taboão em seus deslocamentos. Em Taboão, a prefeitura já realizou a implantação de ciclovia que tem previsão de interligação com a prometida para a Avenida Eliseu de Almeida.

 

Em agosto, a associação realizou contagem dos ciclistas que trafegam pela região. "A contagem de ciclistas, realizada pelo terceiro ano consecutivo, identificou 580 ciclistas na avenida entre as 6h e 20h, número que poderia ser bem maior se houvessem condições de segurança para os usuários de bicicleta", informa a Ciclocidade.

 

 

Fonte