Associação elabora dossiê sobre as ciclovias das Avenidas Eliseu de Almeida e Pirajussara

 

A Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo – Ciclocidade - entregou no último dia 22 de setembro, Dia Mundial Sem Carro, um dossiê que traz parte do histórico e a atual situação das ciclovias prometidas, há mais de 8 anos, para as Avenidas Eliseu de Almeida e Pirajussara, localizadas na Zona Oeste da capital, durante o decorrer de gestões nos municípios de São Paulo e Taboão da Serra.

 

No documento é possível ter acesso aos projetos e ações elaboradas pelas prefeituras para garantir a segurança de ciclistas e pedestres que precisam utilizar diariamente as duas avenidas, mas que nunca foram colocados em prática. “Esta sistematização das diversas ações empreendidas pelo poder público municipal e pela sociedade civil até o momento tem como objetivo subsidiar a tomada de decisão e fazer com que o compromisso com a mobilidade sustentável se torne realidade.”, diz o relatório

 

A Eliseu de Almeida e a Av Pirajussara são vias muito importantes, fazendo ligação com a Rodovia Régis Bittencourt ao Butantã e à Marginal do Rio Pinheiros, permitindo o acesso de parte da Região Metropolitana de São Paulo às regiões centrais, junto das vias estruturais Av. Francisco Morato, Rod. Raposo Tavares e Av. Corifeu, que desembocam principalmente nas Pontes Eusébio Matoso e Cidade Universitária

 

Segundo o documento, a área em discussão é de aproximadamente 5,5km e há tentativas de implantação de ciclovias desde 2004, com a realização do Plano Regional Estratégico do Butantã. Atualmente existem 4km de estrutura cicloviária na parte do Taboão da Serra, da Avenida Brasil até a Rua João Santucci, mas que não tem continuidade quando chega no município de São Paulo.

 

“Em 2012, ao fim de mais uma gestão, o poder público não deu início a viabilização de qualquer infraestrutura básica a fim de fornecer segurança e conforto para o tráfego de bicicletas nessa importante avenida”, diz o relatório.

 

Contagem de Ciclistas

 

Com intuito de  levantar estimativas sobre o número de ciclistas que passam pela Av Eliseu de Almeida,  a Ciclocidade realiza desde 2010 contagens utilizando método fotográfico elaborado pela Associação Transporte Ativo e usados como base em diversas contagens pelo Brasil.

 

Nesses três anos de pesquisa, foi possível constatar a demanda existente e reprimida de usuários de bicicleta pela região, mais de 600 ciclistas acessam diariamente esta via em condições extremamente precárias e com trânsito intenso de automóveis.

 

Baixe todas as contagens realizadas pela Ciclocidade no site da instituição

 

 

Fonte