Ciclista morre atropelado por caminhão

 

 

Acidente ocorreu na Vila Leopoldina (zona oeste de SP); em homenagem, ciclistas organizaram 'ghostbike'

Associações de defesa dos direitos dos ciclistas pediram mais ciclovias, para além das de lazer, aos órgãos públicos

 

DE SÃO PAULO

Um ciclista morreu após ser atropelado por um caminhão na tarde de ontem, na Vila Leopoldina (zona oeste de São Paulo).

 

Segundo o Corpo de Bombeiros, o acidente ocorreu por volta das 12h10, entre a avenida Doutor Gastão Vidigal e a rua Hassib Mofarrej.

 

Quando os bombeiros chegaram, encontraram o ciclista já morto. Até a noite de ontem, os nomes da vítima e do motorista do caminhão não haviam sido divulgados.

 

O motorista do veículo deve ser indiciado por homicídio culposo, segundo a 3º Seccional de Flagrantes, onde ele prestou depoimento.

 

Por volta das 15h, cicloativistas já se organizavam via redes sociais para realizar uma "ghostbike", às 21h, no local do acidente.

 

O ato teve cerca de 30 pessoas. "Acendemos algumas velas e penduramos uma bicicleta pintada na cor branca como marco do acidente que ocorreu aqui", disse ontem à Folha Felipe Centrone, 22, personal trainer.

 

Associações de defesa dos direitos dos ciclistas pediram mais ciclovias, para além das de lazer."É lamentável, [a morte] é sempre um lembrete de que a prefeitura precisa agir com muito mais rapidez e velocidade", diz Thiago Benicchio, 33, diretor da associação Ciclocidade.

 

Segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), a faixa da direita da avenida Gastão Vidigal, sentido marginal, ficou bloqueada até as 13h40.

 

A companhia diz que, entre 14 de maio e 24 de agosto deste ano, foram registradas 212 autuações por desrespeito aos que andam de bicicleta. E já ressaltou que o Código de Trânsito proíbe a circulação de bicicletas em vias rápidas ou rodovias, salvo onde houver acostamento ou faixas de rolamento próprias.

 

"A sensação de impunidade faz com que os maus motoristas continuem ameaçando ciclistas", diz Willian Cruz, 39, da ONG Vá de Bike.

 

No início do ano, a Prefeitura de São Paulo anunciou que passou a multar o motorista que coloca ciclistas em risco, com valores entre R$ 53,20 e R$ 85,13.

 

Colaborou AMANDA KAMANCHEK

 

FONTE