Grande desejo do Butantã, ciclovia da Av Eliseu de Almeida começa a se tornar realidade

Uma das maiores aspirações da população do Butantã, a ciclovia da av. Eliseu de Almeida, deu na noite desta quinta-feira, 5 de setembro, um grande passo para se tornar realidade. O projeto executivo da obra está pronto e foi apresentado pelo subprefeito do Butantã na Frente Parlamentar em Defesa da Mobilidade Humanana na Câmara Municipal de São Paulo. Além de vereadores, diversos cicloativistas e moradores da região acompanharam a apresentação.

Tão importante quanto o projeto executivo é a liberação dos recursos para o trabalho. E outra boa notícia foi dada pelo subprefeito do Butantã. “Algumas emendas parlamentares estão sendo liberadas e temos como dar início às obras até o fim de setembro”, comemorou. “Temos também outros pontos a resolver, como os novos semáforos, responsabilidade da CET, mas isso já está bem encaminhado”, completou.

A Ciclovia da Eliseu de Almeida está orçada em cerca de R$ 3 milhões. As emendas parlamentares somam R$ 1.350.000, valor suficiente para dar início aos trabalhos. “Mas estamos fazendo estudos para novos tipos de pavimentos que podem baixar o preço inicialmente previsto em mais de 30%”, garantiu o subprefeito do Butantã.

O projeto executivo apresentado na Câmara Municipal detalha todos os pontos da ciclovia e é fundamental para o orçamento e execução da obra. A ciclovia da Eliseu de Almeida vai ligar a divisa de São Paulo com Taboão da Serra até a estação Butantã do metrô e uma extensão ligando a ciclovia até a futura estação São Paulo/Morumbi também será construída.

“No total a ciclovia terá 4 mil metros e o prazo de construção é de até 120 dias a partir do início dos trabalhos. Não é uma obra complexa, pois não precisa de grandes intervenções, é basicamente pavimentação e sinalização”, disse o subprefeito da região. “Esta ciclovia será um marco importante para a cidade e fundamental para o Butantã”, concluiu o subprefeito.

Na audiência pública para a elaboração do Plano de Metas da Prefeitura de São Paulo, realizada em abril para colher as sugestões dos moradores do Butantã, a mobilidade urbana foi apontada como o principal problema a ser resolvido no bairro e, dentro desse item, a Ciclovia da Eliseu de Almeida foi o ponto mais citado pelos moradores.

De acordo com um dossiê elaborado pela organização Ciclocidade, as tentativas de implantação de uma ciclovia na avenida Eliseu de Almeida vêm desde 2004, quando foi elaborado o Plano Regional Estratégico do Butantã. Este estabeleceu como meta o ano de 2006 para a conclusão da obra, porém no ano seguinte o prazo foi estendido para 2010.

“O Butantã, por sua topografia plana, é o lugar ideal para a bicicleta, não apenas para o lazer, mas como alternativa de transporte. Mesmo sem a ciclovia é muito grande o número de pessoas do bairro que vai e volta ao trabalho usando a bicicleta”, disse Gabriel Di Pierro, ativista do Ciclocidade.

 

FONTE: Guia do Butantã