Pontes amanhecem com faixas a favor de travessia de pedestres e ciclistas em São Paulo

Por Enzo Bertolini

Cicloativistas colocaram uma enorme faixa da campanha “Adote uma Ponte” na ponte da Freguesia do Ó, no Dia Mundial Sem Carro. Foto: Antonio Miotto

Na manhã desta segunda-feira (22), Dia Mundial Sem Carro, duas faixas com os dizeres “pontes para pedestres e ciclistas” foram penduradas nas pontes da Freguesia do Ó, zona Norte de São Paulo, e Estaiada, na zona Sul. A ponte da Freguesia já havia sido alvo de uma ação na semana anterior, quando bicicletinhas foram pintadas no asfalto para sinalizar a presença de bicicletas na via.

As faixas são uma ação da Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo (Ciclocidade) para chamar a atenção para o fato de que as pontes da capital paulista são elementos segregadores da mobilidade humana. A entidade lançou na semana passada a campanha “Adote uma ponte” para incentivar voluntários a adotarem pontes e documentarem as barreiras a cadeirantes, pedestres, ciclistas ou qualquer outro modal movido à propulsão humana enfrentam na travessia. As informações serão integradas em um grande mapa coletivo e informativo.

A título de exemplo, a ponte Estaiada, elevada a sinônimo de monumento em São Paulo, não possui calçadas e proíbe a travessia de bicicletas. A menos que as pessoas estejam a bordo de algum veículo automotor, a travessia não pode ser realizada.

Pontes com ciclovias

O secretário de Transportes de São Paulo, Jilmar Tatto, afirmou nessa manhã que apresentará ainda nessa semana o programa de travessia de pontes para bicicletas. A ponte da Casa Verde, que faz ligação da avenida Braz Leme com o centro, será o local do projeto piloto. A construção de ciclopassarelas também está prevista.

Foto: Antonio Miotto

Fonte: Vá de bike.