Associações criticam MP e dizem que não aceitarão retrocesso em ciclovias

Ciclistas dizem que lógica do MP levaria ao veto a carro em SP por buracos. MP pede na Justiça a paralisação de obras das ciclovias de São Paulo.

Mais de 20 associações que representam ciclistas em São Paulo divulgaram nota na qual afirmam que não aceitarão "nenhum passo no sentido contrário ao de uma cidade mais ciclável, humana, inclusiva e justa". A nota é uma respota ao pedido de liminar do Ministério Público (MP) que pediu a suspensão das obras de ciclovias em São Paulo.

Entendemos que há erros pontuais na implantação, mas o programa é uma exigência legal amparada por legislações federais, estaduais e municipais, e não aceitaremos nenhum passo no sentido contrário ao de uma cidade mais ciclável, humana, segura, inclusiva e justa"
Ciclocidade e associações

A nota, encabeçada pela Ciclocidade – Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo, defende que a ação proposta pelo MP é um retrocesso.

"Entendemos que há erros pontuais na implantação, mas o programa é uma exigência legal amparada por legislações federais, estaduais e municipais, e não aceitaremos nenhum passo no sentido contrário ao de uma cidade mais ciclável, humana, segura, inclusiva e justa", afirma a Ciclocidade.

Em outro ponto, as associações criticam o argumento do MP relacionado à segurança.

"A ação no Ministério Público cita a todo instante a segurança de quem anda de bicicleta como premissa para sua ação, esquecendo-se que é justamente a infraestrutura cicloviária que garante a ciclistas segurança, conforto e praticidade em seus deslocamentos", informa a nota.

"Seguindo a lógica argumentativa da promotoria, certamente teríamos de proibir a circulação de veículos motorizados em praticamente toda a cidade, em decorrência da qualidade do asfalto, da proliferação de buracos nas vias e dos problemas recorrentes com semáforos", apontam os ciclistas.

Leia a íntegra da nota.


Fonte: Portal G1.