Contagem mostra que continua aumentando o uso da ciclovia da Av. Faria Lima, em São Paulo

Enzo Bertolini | Última atualização em 13 de maio de 2015

O número de ciclistas que utiliza a ciclovia da avenida Brigadeiro Faria Lima, na zona oeste de São Paulo, cresceu 12% nos últimos dois anos, segundo contagem realizada pela Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo (Ciclocidade).

Ao longo de 14 horas (6h às 20h), 1.941 ciclistas (ou 138,64/hora) passaram pelo local no cruzamento com a avenida Rebouças em um dia chuvoso contra 1.726 ciclistas (ou 126,28/hora) em 2013.

O crescimento no uso da bicicleta na Faria Lima pode ser explicado pelo impacto causado pela infraestrutura cicloviária da região. Se for comparado o fluxo de ciclistas do local com a avenida Rebouças, é possível notar uma relação de aproximadamente 6 para 1 na indicação de origem-destino dos trajetos em linha reta realizados pelos ciclistas nesses dois eixos. O maior fluxo se deu no sentido Largo da Batata – Cidade Jardim.

A Faria Lima é servida por uma ciclovia em seu canteiro central entre o Largo da Batata e a avenida Cidade Jardim. Mesmo incompleta nas duas extremidades e com falhas de sinalização em alguns cruzamentos, gera uma grande demanda.

Quase 20% mais mulheres

O relatório mostra ainda crescimento de 19,6% no número de mulheres se deslocando de bicicleta entre setembro de 2013 e abril de 2015 (de 214 para 256). Esse é um ótimo indicativo, pois mais mulheres pedalando significa que o sentimento de segurança para o uso da bicicleta está maior.

Já o uso de bicicletas compartilhadas Bike Sampa subiu 99% no mesmo período. Na região, a intermodalidade já faz parte da cultura. Na hora do rush é possível ver uma grande quantidade de laranjinhas sendo usadas. Aliás, uma das reclamações de quem as usa com frequência é a falta de bicicletas para empréstimo, mostrando a necessidade de aumento da oferta.

Principal opção de novos ciclistas preocupados com o desgaste físico das pedaladas, a bicicleta elétrica está sendo mais usada pelo paulistano. A contagem realizada pela Ciclocidade registrou alta de 106% em 18 meses. Já o uso de capacete cresceu 28% no período.

Acompanhe ao vivo

Desde abril deste ano, um contador de ciclistas em tempo real foi disponibilizado online, em forma de vídeo, mostrando quem passa de bicicleta na ciclovia da Av. Faria Lima. A imagem mostra também a quantidade de deslocamentos em cada direção e o total do dia, além de outras informações. Veja aqui.

O contador de ciclistas é uma iniciativa experimental do LabProdam (Laboratório de Inovação da Prefeitura de São Paulo), como parte da iniciativa São Paulo Aberta.

Ciclovia em expansão

No fim de março de 2014 a prefeitura assinou a documentação final que autoriza a construção de dois trechos de extensão da ciclovia da avenida Faria Lima com término previsto, à época, para outubro de 2015.

Serão 11,5 km em dois trechos. O do Parque Villa-Lobos vai começar na altura do Ceagesp e irá até o Largo da Batata, um trecho que já conta com estrutura provisória que será readequada. Na outra ponta, a ciclovia vai começar onde termina a atual (na altura da avenida Cidade Jardim) e seguirá até a avenida Hélio Pellegrino, na esquina com a avenida República do Líbano, próximo ao Parque do Ibirapuera.

No sentido Ceagesp as obras começaram em 2014. O piso está sendo refeito, enquanto fazem uma calçada em paralelo à ciclovia. Em breve deve ser dado início à pintura de solo. Na outra ponta, no cruzamento com a avenida Cidade Jardim, as reformas tiveram início em 2015 e ainda estão em fase primária.

Segundo fontes da Secretaria Municipal de Transportes, os dois novos trechos respeitarão o mesmo padrão de tamanho e sinalização do já existente. As obras são parte de uma exigência legal da Operação Urbana Consorciada Faria Lima, como contrapartida ambiental das obras que foram realizadas na região.

 

Fonte: Site Vá de Bike.