Relato sobre a Reunião Geral de novembro da Ciclocidade

ReuniaoGeral Novembro2017a

 

Praticamente inaugurando o espaço da sede, ainda sem mesas e cadeiras, a Reunião Geral da Ciclocidade de novembro começou com um relato sobre o canal de comunicação horizontal entre associadas e associados. O canal vem sendo estudado já há alguns meses e será uma lista de emails, com controle manual de entrada e saída, usando como base a listagem de associações em dia no sistema da Ciclocidade.

A recomendação é implantar o canal imediatamente, usando o período de agora até o início de 2018 como teste. Neste momento, uma pesquisa de avaliação será realizada. Há a ideia de formular um “manual de boas práticas de uso” em janeiro e de um email explicando o objetivo da lista.

Sobre o funcionamento, deve existir primeiro uma discussão sobre o período de carência (“grace period”) existente atualmente no sistema da Ciclocidade. Este período era antes de um mês e foi ampliado para três há cerca de um ano. Mas de um modo geral, quando a anuidade da pessoa associada vencer, ela já recebe emails de aviso. A princípio, não haverá moderação na lista, algo que pode ser reavaliado após o período de testes.

Das sugestões dadas pelo grupo durante a Reunião Geral, ficam a de aproveitar o envio automatizado dos emails do sistema para avisar sobre a lista de emails, rever a questão do período de carência, definir pelo menos uma pessoa para se responsabilizar pela entrada e saída de pessoas da lista de emails e que esta tenha o email de mídias como único proprietário, pois é um email criado para isso.

O segundo ponto de pauta é o acompanhamento das reuniões de Diretoria. Há a proposta de fazer um streaming no YouTube via link fechado de Google Hangouts. Outra ideia seria apenas publicar a ata dessas reuniões no site da Ciclocidade. Há também a possibilidade de haver participação presencial, de pessoas que venham até a sede como ouvintes. Após breve discussão, define-se pela publicação das atas de reunião da Diretoria no site da Ciclocidade e encaminhar as outras propostas no canal de comunicação horizontal entre associades.

 

Informes de Grupos de Trabalho

O GT Gênero faz uma breve apresentação sobre o projeto aprovado pelo Fundo Elas. Serão 5 formações ao longo do projeto, uma em cada região da cidade, não apenas para grupos que já trabalham com a bicicleta, pois espera-se trazer pessoas novas para a organização. As 5 articuladoras estarão na 4ª Formação em Ciclomobilidade.

Já a pesquisa com ex-associados está com 25 respostas na segunda chamada, haverá ainda um terceiro e último email. Uma futura pesquisa seria com quem está com a associação ativa. O próximo item na fila do GT Associação é implantar o acolhimento de novas pessoas nas reuniões gerais e criar facilidades para mães e pais. O GT pode rediscutir a questão de dar coletes para quem contribui com um valor maior de associação.

O GT SSP, criado junto com a Secretaria de Segurança Pública do Estado, está com suas atividades no final. Estamos devendo ainda visitas in loco nos locais com maior incidência de roubos e furtos para poder marcar uma reunião de encerramento do GT.

No GT Legislativo, comemos bola com relação ao PL do João Jorge, que burocratiza a implantação de infraestrutura cicloviária na cidade. Uma alternativa seria colocar força no PL da Soninha, de revisão do sistema cicloviário. Temos 7 vereadores signatários da carta de compromisso com a Mobilidade Ativa.

Temos que fazer um alinhamento interno da Câmara Temática de Bicicleta. Estamos com pouco engajamento, é preciso revitalizar o grupo. Marina também está sem suplente no Conselho Municipal de Transporte e Trânsito (CMTT) e teve de se ausentar nas últimas reuniões, sem ninguém para ir. Mesmo o CMTT não está um espaço de participação interessante. É precisamos construir o processo de atualização dos membros, como um processo eleitoral e ter uma forma mais objetiva de incidir por lá, caso seja o entendimento de que este ainda é um espaço a ser ocupado. Há um encontro marcado para a semana seguinte, onde isso será discutido.

ReuniaoGeral Novembro2017b

 

Outros pontos de pauta

A 4ª Formação em Ciclomobilidade será no início de dezembro, dias 1-2-3. Abriremos um chamado no começo da semana que vem. O tema central será ciclomobilidade e incidência política em São Paulo. A produção está começando agora. Cinco das vagas são reservadas para as formadoras selecionadas no GT Gênero para o edital Fundo Elas.

Precisamos de muita ajuda para a atualização da Pesquisa Perfil de Ciclista. O treinamento será dia 11, e precisamos de 30 locais com voluntários. Se não tivermos voluntários não conseguiremos fazer. Vamos abrir um chamado ainda esta semana.

O GT Gênero pede que a diretoria da Ciclocidade se manifeste com relação ao caso do ex-diretor geral. O GT avalia que pelo menos uma advertência oficializada seria importante. Outras entidades como UCB e Bike Anjo se manifestaram, só a Ciclocidade que não. Aline diz que haverá uma discussão interna sobre o tema, já que o estatuto prevê que seja em nível de diretoria.

 

Novas diretrizes de gestão da associação

Não houve tempo para apresentar e discutir as novas diretrizes da associação, mas há uma apresentação breve. Não alterar o que está em andamento, mas tentar propor um ambiente que possibilite a transformação na próxima gestão. A proposta está sistematizada em um documento e será chamada uma reunião extraordinária para conversar sobre esse ponto.

Yuri Vasquez é anunciado como novo diretor de pesquisa, substituindo Leticia Lemos. A diretoria está sondando uma nova pessoa para a diretoria de Participação.

Há áreas que a associação que focar: incidência política/participação e pesquisa. As áreas de Comunicação, Gênero e Associação se transformariam em coordenadorias em vez de GTs, por serem perenes e transversais. Mas isso só se os GTs quiserem, pois a ideia de um grupo de trabalho é que ele acabe após um período de atuação. Criação dos novos GT Raça e Território e do Gt Institucional, que cuidaria da gestão e da revisão do estatuto.