Ata da Reunião Geral de Maio 2018

Reunião Geral Ciclocidade - 12 de maio de 2018

Local: Aro 27 bike Café

 

Presentes: Carolina Bernardes, Flávio Soares, Sasha Hart, Vitor Muramatsu, João Bazzu, Paulo Teixeira, Dionízio Bueno, Cyra Malta, Aline Cavalcante, Marcela Duarte, Matias Mickenhagen, Aparecido Advogado, Roberta Raquel

 

Pauta

  1. Atualização de projetos e GTs;
  2. Processo sucessório;
  3. Alterações no estatuto;
  4. Informes gerais.

 

Aline abriu a reunião falando sobre o Aro 27 e que depois da última reunião geral onde manifestamos o interesse em mudar nossa sede, conversamos com o Aro e fechamos a experiência por 3 meses lá. A Ciclocidade passará a ocupar uma sala.

Quem participa da reunião pela primeira vez se apresentou:

  • João Pedro Bazzo é de Curitiba e falou um pouco sobre o trabalho dele. Veio para curso sobre ruas seguras, que eles querem levar a experiência para Curitiba.
  • Vitor Muramatsu falou sobre a experiência dele na USP e no Bike Anjo. É psicólogo clínico e estuda sobre como as pessoas sofrem na cidade.

 

  1. Atualização de projetos e GTs
  • GT Associação

Não conseguiu se reunir depois da última reunião.

 

  • GRSP

Aline Cavalcante passou oficialmente a fazer parte do projeto;

Flavio falou sobre o projeto, que entrou em uma nova etapa. Depois de um período de trabalho de recolher e compilar dados, agora o objetivo é transformar os dados em informações que possam ser usadas na construção de políticas públicas;

Foi celebrado o prêmio que o projeto recebeu da Transporte Ativo na categoria Levantamento de Dados;

Não pode participar do Velocity por um problema no nome dos inscritos (Ciclocidade participa com o Bicicleta Faz Bem ao Comércio, apenas).

 

  • Feminismo Sobre Duas Rodas

Nos dias 26 e 27 de maio acontece a última das cinco formações previstas no projeto. Será na Zona Sul com o Preta, Vem de Bike.

Última etapa foi na Zona Norte;

Carol Bernardes fez uma avaliação do aprendizado no projeto e falou que ainda está em debate como deixar um legado para a Ciclocidade.

Haverá reunião na semana para falar sobre o futuro do projeto

 

  • Lista de e-mails

Marcela Duarte falou sobre o canal e que, apesar de que estava previsto desde o início que seria feito um manual de boas práticas, esse trabalho seria feito com base nas experiências. No entanto, falou que não houve até agora casos que sirvam de exemplos para o manual;

Sasha Hart sugeriu começar logo o manual para deixar claro para o que serve a lista para evitar algum excesso;

Cyra Malta comentou que um manual talvez seja demais mais delimitar sobre o que é a lista;

Marcela explicou que no convite já vai uma breve explicação.

 

  • Newsletter

Carol Bernardes deu um feedback positivo sobre a última newsletter por compilar os principais assuntos.

 

  • GT Bicicletas Compartilhadas

Aline falou sobre a situação do GT, que ficou parado depois da saída do Beni Fisch;

Houve reunião no dia 14 com a Yellow Bike, que irá operar em SP um sistema dockless;

Aline, Paulo Fava, Fernando e Mariana participaram da reunião do dia 14, para entender como funciona e qual o objetivo;

Vêm com 20 mil bicicletas amarelas em julho;

Devem marcar nova reunião, além de ouvir Mobike e Serttel (todas dockless);

A Yellow demonstrou interesse em contratar pesquisa da Ciclocidade;

Começa implementação dos sistemas dockless em julho de 2018.

Convidou os associados a fazerem parte do GT

 

  1. Processo sucessório

Aline fez um relato sobre a situação burocrática da diretoria da Ciclocidade. Têm acesso à conta corrente da Ciclocidade, mas ainda há pendências, como o balanço de 2017 e o registro em cartório da ata de recomposição da diretoria;

René Fernandes passou as contas de 2017 para o contador, que está fazendo balanço de 2017;

Precisa disso para entrar com auditoria, uma necessidade do GRSP;

Na terça-feira, Cyra tem reunião com o contador e avalia a possibilidade de ele já ir olhando mês a mês, em vez de receber um ano inteiro de uma vez;

Dionísio falou sobre o comitê eleitoral que foi formado para discutir e propor normas para as eleições;

Eleição deve ser em 16 de junho (não é uma boa data porque é na sequência do Velocity, mas é a data possível);

Reunião geral no dia 13, três dias antes das eleições para candidatos se apresentarem e falarem sobre suas propostas, além de também servir para articulação entre eles em chapas;

Assembleia precisa ser chamada com 15 dias de antecedência; Edital de convocação deve sair durante a proxima semana

Eleição será fechada (em cédula);

Conselho fiscal será escolhido por aclamação e não por votação;

Diretoria expandida será escolhida pela diretoria eleita;

Nova diretoria assume em 2 de julho;

Debate sobre apresentação antecipada de quem quer se candidatar na reunião que acontece três dias antes ou na lista de e-mails (lista de e-mail deverá ser atualizada com mais frequência neste período);

Flavio chamou a atenção sobre a importância de mandar comunicados sobre as eleições fora da lista de e-mails também (duplicado);

Eleição será por cargo, e não por chapa;

Aparecido deu sugestão para o grupo que trata do estatuto debater se haverá a eleição de um grupo que formará a diretoria e essas pessoas escolhem quem vai ter cada cargo;

Vai ser reunião extraordinária porque a ordinária tem uma pauta específica (ordinária deve acontecer uma vez por ano).



  1. Alterações no estatuto

A intenção é ter até o fim de maio uma proposta de alteração no estatuto;

Proposta: eleição em 16 de junho (e possivelmente terá uma reunião uma semana antes para fazer uma conversa sobre o estatuto, para ver se aprova ele no mesmo dia da eleição);

Advogada vai ajudar a elaborar uma proposta de estatuto (em avaliação usar alguns profissionais que possam ajudar com questões burocráticas, como advogada e contador);

Cyra falou sobre ideia de manter três pessoas na diretoria e outros diretores virarem coordenadores de área (colocar previsão no estatuto, assim como os GTs). Também a necessidade de colocar no estatuto a necessidade de estabelecer que o que for criado para a Ciclocidade pertence à Ciclocidade (questão de direito autoral);

Aparecido se colocou à disposição para ajudar com a questão do estatuto.

 

  1. Informe gerais
  • Sede

Fechou com o Aro 27 que o valor será de R$ 900 o mês para usar uma sala de trabalho (pode usar no fim de semana também, teremos chave e acesso);

Experiência de 90 dias a partir de 15 de maio;

Já está em processo de mudança da Casa Planta;

Sugestão do Dionísio de lançar como valor normal de aluguel (R$ 1.200) e descontar R$ 300 como contribuição de PJ;

Sistema da Ciclocidade já deveria estar pronto para aceitar PJ como associado, no entanto tem que resgatar o que houve no caso do Aromeiazero (há intenção de outros PJs);

Vitor falou da experiência da UCB, que tem PJ entre os associados (só aceita pagamento, não permuta ou desconto);

Ficou a dúvida sobre a participação das empresas na Ciclocidade (tem direito à voto?, quem representa a empresa nas assembleias? precisa de CNPJ?);

GT Estatuto ficou de avaliar.

 

  • Outros informes

Roberta falou sobre sua tese na UFSC sobre mulheres em associações cicloativistas.

Dionísio está organizando com Fabio no Aro 27 no próximo sábado (19 de maio, das 10h às 12h) uma roda de conversa sobre texto Zona Autônoma Temporária.

Cyra divulgou Feira de Economia Solidária e Feminista, que aconteceu hoje mas se repete em 09 de junho e 14 de julho.

Sasha falou sobre a Câmara Temática da Bicicleta. Foi reiterado o convite para o prefeito participar em qualquer data, mas ele respondeu que não tinha agenda em Maio. A reunião ficou então suspensa. As reuniões da câmara são abertas na CET às 18h30. A próxima acontece em 4 de junho. Está sendo falado que em junho administração vai apresentar estudo da rede cicloviária.

Aparecido falou sobre organização de movimento dos advogados ciclistas. São 10 ou 12, mas mapearam e deve chegar a 50. Falou sobre o problema com a Ecovias (descida para Santos), ficou acertado que acontece em 2 de dezembro, fechando Anchieta de ponta a ponta durante a manhã. Visita técnica no dia 22 de maio. Assembleia aprovou lei sobre a Rota Turística Marcia Prado e vai para sanção do governador.

Ação Civil contra o aumento das velocidades nas marginais: advogadas vão avaliar. Ainda não foi debatido pela diretoria.